Giorgio Armani adia desfile em Dubai por causa do coronavírus


Evento, que aconteceria em abril, foi transferido para novembro durante a Expo 2020. O designer de moda italiano Giorgio Armani posa entre modelos de sua grife após desfile da coleção outono-inverno na Semana de Moda de Milão, na Itália, em 2015
Luca Bruno/AP
Giorgio Armani anunciou, nesta quinta-feira (5), o adiamento do desfile da marca em Dubai. O evento aconteceria em abril e foi transferido para novembro devido ao surto do coronavírus.
O desfile da marca é mais um evento na indústria da moda e entretenimento que sofreu mudanças por causa do crescente número de casos da doença.
“Devido ao recente desenvolvimento do surto de coronavirus, Giorgio Armani está adiando para novembro o evento que estava programado para acontecer em Dubai em 19 e 20 de abril”, informou a assessoria da marca através de um comunicado.
“A decisão foi tomada como medida de precaução com o objetivo de proteger todos os representantes da indústria, funcionários e convidados que estariam envolvidos. O evento, convocado por Giorgio Armani para celebrar e reabertura da boutique Giorgio Armani no Dubai Mall e os dez anos da inauguração do Armani Hotel, será realizado na Expo 2020.”
Medo do Coronavírus
Outros artistas e produtores também alteraram suas rotas para evitar o avanço do Covid-19 – a doença causada pela nova forma do vírus.
O filme “Sem tempo para morrer”, novo filme do agente James Bond, teve sua estreia adiada para novembro. A data de lançamento era prevista para abril anteriormente.
Outro filme afetado foi “Missão Impossível”, que teve as filmagens interrompidas. E os planos de filmar em Veneza, na Itália, foram suspensos. A equipe já estava no país e foi mandada para casa. Tom Cruise, astro da franquia, ainda não tinha chegado.
A semana de moda de Milão também sentiu o impacto. Vários e eventos e desfiles que aconteceriam dentro da programação foram cancelados. Inclusive a Armani, uma das grifes mais famosas do mundo, desistiu de fazer um desfile e acabou filmando modelos em um teatro vazio.
O grupo de K-pop BTS pediu que os fãs não vão às apresentações marcadas em programas de TV. A Coreia do Sul já registrou mais 5 mil casos da doença e 31 pessoas morreram.
Os sete membros do grupo ainda vão fazer os shows agendados em programas, mas sem plateia. E as entrevistas com jornalistas, que também estavam marcadas, vão ser feitas por videoconferência.
Outras bandas também interromperam shows na Ásia. O Green Day cancelou turnê por seis países do continente. E o grupo de K-pop GOT7 adiou dois shows na Tailândia, que já estavam com os ingressos esgotados.
A cantora Avril Lavigne também cancelou as seis apresentações que faria na Ásia. “Eu, minha banda e minha equipe estamos trabalhando duro para levar essa turnê pelo mundo e estamos completamente desapontados. Por favor, se cuidem e mantenham-se saudáveis”, escreveu a cantora.