Gal Costa liga ‘as várias pontas de uma estrela’ em show alinhavado a partir da obra de Milton Nascimento


Prevista para gerar disco, a turnê da cantora estreia em São Paulo em 30 de outubro e chega ao Rio em novembro. ♪ Gal Costa estreia show inédito, As várias pontas de uma estrela, em 30 e 31 de outubro. A turnê nacional do show As várias pontas de uma estrela parte da cidade de São Paulo (SP) – com duas apresentações no Teatro Bradesco – e chega ao Rio de Janeiro (RJ) em 12 de novembro, em sessão única na casa Vivo Rio, seguindo pelo Brasil em rota que será estendida ao longo de 2022.
As várias pontas de uma estrela é projeto existente desde 2016 e que consiste em show – e disco resultante do espetáculo dirigido por Marcus Preto – alinhavado a partir da obra de Milton Nascimento.
As várias pontas de uma estrela é o nome de música composta por Milton em parceria com Caetano Veloso, tendo sido lançada há 39 anos no álbum Ânima (1982) em gravação que juntou os autores da música.
Nunca cantada por Gal, As várias pontas de uma estrela guia roteiro que, além de músicas de Milton gravadas pela cantora em 56 anos de carreira fonográfica, abrange também composições de Antonio Carlos Jobim (1927 – 1994), Caetano Veloso, Chico Buarque e Dorival Caymmi (1914 – 2008) já abordadas por Gal, com direito a lados B da discografia da artista. A ideia é promover conexões do cancioneiro monumental de Milton com a obra de Gal.
No show As várias pontas de uma estrela, Gal canta Milton e outros compositores da MPB com trio de piano, baixo e bateria.
Cabe lembrar que, entre as músicas de Milton já gravadas por Gal, dentro ou fora da discografia da cantora, há joias sempre modernas como Cadê (Milton Nascimento e Ruy Guerra, 1973 – gravada por Gal em 1978 com a letra censurada em 1973), Fé cega, faca amolada (Milton Nascimento e Ronaldo Bastos, 1974 – gravada por Gal em 1976), Ponta de areia (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1974 – gravada por Gal em 1997 em disco do Boca Livre), Paula e Bebeto (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1975 – gravada por Gal em 1978), Canção da América (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1979 – gravada por Gal em 1985), Solar (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1982), Quem perguntou por mim (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1985), Me faz bem (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1987) e Dez anjos (Milton Nascimento e Criolo, 2015).