Fundo de Quintal grava show em que celebra 45 anos de história no samba


Grupo recebe convidados como Diogo Nogueira, Mumuzinho e Xande de Pilares em registro audiovisual feito no Rio de Janeiro. ♪ Pode parecer estranho que o Fundo de Quintal entre em cena no palco do Parque Madureira às 16h deste domingo, 21 de novembro, para gravar álbum ao vivo em show que festeja os 45 anos do grupo carioca. Mas o fato é que as origens desse grupo – referência de qualidade no samba produzido na cidade do Rio de Janeiro (RJ) a partir da segunda metade dos anos 1970 – remontam mesmo ao ano de 1976.
Na ocasião, mesmo sem ainda terem oficializado a existência do grupo, Bira Presidente, Sereno e Ubirany Félix do Nascimento (16 de maio de 1940 – 11 de dezembro de 2020) já comandavam uma semanal roda de samba na quadra do bloco Cacique de Ramos, aglutinando sambistas então jovens e ainda sem visibilidade fora da quadra situada no subúrbio da cidade do Rio de Janeiro (RJ).
Foi nessa roda que Beth Carvalho (1946 – 2019) descobriu o grupo em 1977 e o convidou para gravar com a cantora no álbum De pé no chão (1978), disco com que Beth fez história ao renovar o toque do samba.
Atualmente um quinteto formado por Ademir Batera, Bira Presidente, Júnio Itaguay, Márcio Alexandre e Sereno, o Fundo de Quintal celebra essa história com a gravação de show que prevê intervenções de Bom Gosto, Diogo Nogueira, Gabby Moura, Mumuzinho e Xande de Pilares, além de homenagem ao fundador Ubirany, morto no ano passado, vítima de covid-19.
Diogo Nogueira, por exemplo, gravará com o grupo o samba A batucada dos nossos tantãs (Sereno, Adilson Gavião e Robson Guimarães, 1993), música que deu nome ao álbum lançado pelo Fundo de Quintal em 1993.
Com a morte de Ubirany, ritmista que criou o repique de mão, Bira Presidente (Ubirajara Félix do Nascimento, atualmente com 84 anos) e Sereno (Jalcireno Fontoura de Oliveira, atualmente com 81 anos) se tornaram os únicos remanescentes da formação original do Fundo de Quintal.
Ambos são criadores e coautores da história que o grupo rememora e prolonga ao fazer o registro audiovisual de show novo, cujo roteiro prevê 45 músicas, sendo 35 sucessos e 10 composições inéditas. O show tem que continuar…