Fred Camacho exalta o batuque ancestral dos terreiros em samba feito com Leandro Fab


Agendado para 9 de setembro, o single ‘No toque do alabê’ integra o ainda inédito segundo álbum do artista carioca. ♪ Na hierarquia vigente nos terreiros de Candomblé, alabê é o ogan responsável pelos atabaques que embasam os rituais dessa religião de matriz afro-brasileira.
É o alabê quem percute os tambores rum (o maior, de toque grave), rumpi (o do meio, de registro sonoro entre o grave e o agudo) e lé (o tambor menor, de som agudo) nas cerimônias do Candomblé.
É a ancestralidade desses tambores que o carioca Frederico Fagundes Fernandes Camacho – Fred Camacho, para os frequentadores das rodas de samba da cidade do Rio de Janeiro (RJ) – exalta no inédito single solo No toque do alabê.
Programado para ser lançado na próxima quinta-feira, 9 de setembro, data em que o artista completa 44 anos, o single No toque do alabê apresenta samba inédito composto por Camacho com o recorrente parceiro Leandro Fab.
No estúdio, o samba ganhou arranjo de Wanderson Martins em gravação feita com produção musical de Pretinho da Serrinha.
O samba No toque do alabê integra o repertório do ainda inédito segundo álbum de Fred Camacho. Trata-se do quarto single do álbum, mas o primeiro solo.
Os três singles anteriores – apresentados entre dezembro de 2020 e julho de 2021 com os sambas É hora (Fred Camacho, Cassiano Andrade e Fabrício Pontes, 2020), Lente de contato (Jorge Simas, Wanderson Martins e Zeca Pagodinho, 1990) e Fale quem quiser (Fred Camacho e Leandro Fab, 2021) – foram gravados pelo artista com Xande de Pilares, Zeca Pagodinho e Maria Rita, respectivamente.
♪ Eis a letra do samba No toque do alabê :
No toque do alabê
(Fred Camacho / Leandro Fab)
Quando acender
Ninguém vai mais apagar
Meu samba tem o poder
Tem chama pra incendiar
No balancê
Você vai bambolear
No toque do Alabê
Quem é da gira vai girar
Um laço de respeito e amizade
Que fortalece a alma de verdade
E nada nesse mundo vai nos separar
(Está no meu DNA)
Na alegria ou na tristeza a gente canta
Com fé qualquer fantasma se espanta
E a vida é mais feliz pra quem quiser sambar
Quem vai pro terreiro sou eu
Quem gosta de samba sou eu
Sou eu o parceiro da lua que brilha por onde passar
Quem é batuqueiro sou eu
Quem anda na rua sou eu
Sou eu que acendo o braseiro e deixo essa luz me guiar