Ford vai demitir 120 trabalhadores em Taubaté por PDV, diz sindicato


Empresa abriu pacote de demissão com meta de 160 desligamentos. Montadora adequação de ‘pequeno excedente’. Acordo que permitiu PDV, selado em fevereiro, incluiu redução de jornadas e congelamento de salários. Ford
Brendan McDermid/Reuters
A Ford em concluiu o Programa de Demissão Voluntária (PDV) e vai demitir 120 trabalhadores na fábrica de Taubaté. A informação é do Sindicato dos Metalúrgicos. A meta da montadora era desligar 160 empregados e, por isso, a multinacional estuda ajustes para adequar o excedente da unidade no interior de São Paulo.
O PDV ficou aberto entre 12 de fevereiro e 30 de abril. De acordo com o sindicato, os desligamentos começaram na última semana e 80% dos funcionários que aderiram já foram cortados. O restante não tem prazo definido para a demissão, porque depende da finalização de projetos em execução.
Antes do PDV, a direção da planta já tinha oferecido um PDV depois de anunciar um excedente de 350 trabalhadores – a adesão ao programa foi considerada baixa na época. Em seguida foram demitidos 12 trabalhadores e, na sequência, aprovado o acordo para aplicação do último PDV.
Além do PDV, o plano de ação aprovado entre empresa e trabalhadores no início do ano para adequar a produção ao mercado ainda inclui congelamento dos salários neste ano e a redução de 10% na jornada com desconto proporcional a partir de junho.
Avaliação
Em nota sobre a conclusão do PDV, a Ford informou que atingiu a expetativa, mas que ‘a empresa ainda conta com um pequeno excedente a ser ajustado, o qual está sendo tratado individualmente, conforme necessidade de adequação ao programa de produção’. A montadora não informou a quantidade de adesões ao programa.
Apesar da alegação da empresa, o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos, Sinvaldo Cruz, informou que não há tratativas em andamento e que o pacote aprovado em fevereiro se estende para todo o ano de 2019, sendo necessárias novas reuniões e acordos para aplicação de outras medidas.
“A empresa atingiu quase todo o objetivo e não há retração maior no mercado ou projeção de queda para o setor que justifique novas medidas”, disse.
A Ford emprega 1,3 mil pessoas em Taubaté e produz motores e transmissões.