Fiocruz vai fabricar remédio para HIV, o que deve ampliar seu acesso

Fabricação do medicamento passará a ser exclusiva da Fiocruz, no Rio de Janeiro

Fabricação do medicamento passará a ser exclusiva da Fiocruz, no Rio de Janeiro
Divulgação/Fiocruz

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), no Rio de Janeiro, vai produzir integralmente o Duplivir, medicamento antirretroviral utilizado no tratamento para o HIV distribuído pelo SUS. A previsão é que essa fabricação comece em agosto. 

O remédio já é produzido no Brasil pela Fiocruz em parceria com laboratórios privados e passará a ser fabricado totalmente pela fundação. Para que a fabricação seja liberada, a Farmanguinhos, do Instituto de Tecnologia em Fármacos da Fiocruz, espera a última aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Leia também: Governo altera Programa de Aids, considerado referência mundial

Somente nos primeiros quatro meses de 2019, a Farmanguinhos produziu cerca de 30 milhões de comprimidos. A meta é que até o final do ano sejam totalizados 75 milhões de fármacos, que serão oferecidos pelo SUS.

Jorge Mendonça, diretor da Fiocruz, afirmou, por meio de nota, que a produção integral dos medicamentos pela Fiocruz economizará dinheiro dos cofres públicos e garantirá o fornecimento dos insumos para a rede pública de saúde, o que poderá ampliar o acesso das pessoas ao tratamento.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini

Brasil tem o maior número de casos de HTLV no mundo, primo do HIV: