‘Felicidade’ chega ao Globoplay: relembre história de amor com Tony Ramos e Maitê Proença


Novela de Manoel Carlos tinha Viviane Pasmanter, Herson Capri e Laura Cardoso em trama sobre relações. Veja curiosidades e fotos. Herson Capri, Maitê Proença e Tony Ramos em ‘Felicidade’, em 1991
Bazilio Calazans/Globo
Edney Giovenazzi em ‘Felicidade’, 1991
Bazilio Calazans/Globo
“Felicidade” é a novela que entra no Globoplay nesta segunda (21). Exibida em 1991, a trama de Manoel Carlos teve Tony Ramos, Maitê Proença, Viviane Pasmanter, Herson Capri e Laura Cardoso.
Para ajudar a entrar no clima, o G1 publica curiosidades sobre a novela, com dados do Memória Globo (leia mais ao fim da reportagem).
O autor se inspirou em contos do escritor mineiro Aníbal Machado, entre eles “Tati, a Garota”, “O Piano” e “Acontecimento em Vila Feliz”.
Assim como em todas as novelas de Maneco, a protagonista é Helena (Maitê Proença). A moça se apaixona pelo advogado carioca Álvaro Peixoto (Tony Ramos), acusado pelo desaparecimento de um menino de 12 anos.
Felicidade: Helena e Álvaro declaram seu amor impossível
Nesse meio tempo, chega à cidade o engenheiro agrônomo Mário Silvano (Herson Capri) e se casa com Helena, mas o casamento fracassa. Já Álvaro se casa com a rica e problemática Débora (Vivianne Pasmanter).
Álvaro e Helena se reencontram e ela engravida. Com medo e vergonha, foge para o o Rio de Janeiro e cria a filha Bia (Tatiane Goulart) sozinha.
Oito anos depois, Helena trabalha para Cândida (Laura Cardoso), mãe de Álvaro, e Bia faz amizade com o filho dele, Alvinho (Eduardo Caldas), o que acaba reaproximando o casal. Percebendo o amor de Álvaro por Helena, a possessiva Débora passa a perseguir os dois e faz de tudo para infernizar a vida da rival.
Maitê Proença e Tatyane Fontinhas Goulart em ‘Felicidade’, 1991
Bazilio Calazans/Globo
O autor valorizava as relações, sobretudo entre mãe e filha. Em entrevista ao Memória Globo, Proença relembrou a construção das personagens.
“A gente tinha papos cabeça profundos, de todo mundo chorar. O texto tocava em lugares muito sensíveis, ele estava muito brilhante ao escrever. A Tatiane Goulart, que fazia minha filha, chegava uma hora antes das gravações, e a gente estudava o texto juntas. Isso foi maravilhoso, porque ela passou a mimetizar o meu jeito, e fomos ficando muito parecidas. Havia muita verdade na relação entre os personagens”, contou a atriz.
Felicidade: Final
Curiosidades
A novela marcou a volta de Manoel Carlos à Globo após oito anos afastado;
Foi a primeira novela da Globo a ter uma mulher na direção-geral, Denise Saraceni;
Foi a primeira novela de Vivianne Pasmanter, Eliane Giardini, Maria Ceiça e Ana Beatriz Nogueira;
“Felicidade” fez sucesso fora do Brasil: Austrália, Canadá, Chile, China, Congo, Cuba, Gabão, Guatemala, Ilhas Maurício, Indonésia, Itália, Líbano, Macau, Marrocos, Zaire, Senegal, Costa do Marfim, Martinica, Nicarágua, Panamá, República Dominicana, Rússia, Turquia e Venezuela, entre outros;
Em vez de paredes e patamares para a construção dos cenários, os ambientes apresentavam trabalhos de artistas consagrados, como Salvador Dalí, Marc Chagall e Luiz Aquila. Para atingir o efeito desejado, a equipe de produção usou o chromakey para projetar as imagens.
Tony Ramos, Eduardo Caldas e Viviane Pasmanter em ‘Felicidade’, em 1991
Arley Alves/Globo
Laura Cardoso em ‘Felicidade’, em 1991
Bazilio Calazans/Globo
Maitê Proença, Umberto Magnani, Ariclê Perez e Monique Curi em ‘Felicidade’, 1991
Arley Alves/Globo
Esther Góes, Vivianne Pasmanter e Othon Bastos em ‘Felicidade’, 1991
Arley Alves/Globo
Maria Ceiça em ‘Felicidade’, em 1991
Bazilio Calazans/Globo
Ana Beatriz Nogueira, Sebastião Vasconcellos, Regina Dourado em ‘Felicidade’, em 1991
Bazilio Calazans/Globo
Cidade cenográfica de ‘Felicidade’, 1991
Bazilio Calazans/Globo