Facebook usa dados de usuários para prejudicar concorrentes

Vazamento traz a tona práticas da rede social em relação aos dados dos usuários

Vazamento traz a tona práticas da rede social em relação aos dados dos usuários
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Documentos e trocas de mensagens internas do Facebook foram vazadas nesta quarta-feira (6) e revelam como a rede social controlava os dados dos usuários para prejudicar concorrentes e empresas que de alguma forma poderiam ameaçar o negócio da plataforma.

Leia mais: Milhões de telefones de usuários do Facebook são expostos em servidor

Segundo o site Business Insider, as mensagens faziam parte de um processo judicial entre o Facebook e uma empresa desenvolvedora de aplicativos e mostra a importância dos dados dos usuários para a rede social.

Estes documentos revelam que, por exemplo, funcionários da rede social discutiram planos para restringir o acesso de produtos concorrentes como o Twitter e o Youtube, a informações dos dados de usuários, mesmo quando esses aplicativos já tinham sido aprovados para acessar os dados do usuário do Facebook.

Os arquivos mostram ainda que o Facebook avaliou a possibilidade de cobrar das empresas pelo acesso aos dados do usuário. Isto afetaria milhares de desenvolvedores de aplicativos que fazem integrações com a rede social e colocaria em xeque a política de privacidade da plataforma. Entretanto, o plano foi abandonado.

O material aponta ainda que outras empresas acabavam ganhando acesso privilegiado a dados dos usuários, muitas vezes sem que o dono do perfil autorizasse por ser uma empresa que possuía um acordo ou parceria mais próxima com o Facebook.

Em uma resposta do Facebook à Business Insider sobre o vazamento destes documentos, um representante da empresa afirmou que “esses documentos antigos foram retirados de contexto por alguém com uma agenda contra o Facebook e foram distribuídos publicamente com total desrespeito às leis dos EUA”.

Ainda segundo a Business Insider, há mais de 4.000 páginas de relatos estratégicos da companhia que estão sendo analisados por vários jornalistas americanos e que devem trazer à tona um lado obscuro da popular rede social.