Facebook fecha páginas vinculadas a políticos e Exército da Ásia

Estamos fechando estas páginas nos baseando em comportamento

Estamos fechando estas páginas nos baseando em comportamento

EFE/EPA

O Facebook anunciou nesta segunda-feira (01) o fechamento de cerca de 700 páginas e contas falsas vinculadas com os principais partidos políticos indianos, assim como outras 103 atribuídas ao Exército do Paquistão, a menos de duas semanas do início das eleições gerais na Índia.

“Estamos fechando estas páginas nos baseando em comportamento, não no conteúdo. Em cada caso, as pessoas por trás destas atividades se coordenavam e utilizavam contas falsas para ocultar identidade”, afirmou o Facebook em comunicado.

Segundo a companhia presidida por Mark Zuckerberg, indivíduos vinculados ao histórico Partido do Congresso, da dinastia Nehru-Gandhi e principal formação opositora, controlavam 138 páginas e 549 contas nas quais publicavam sobre temas políticos de forma coordenada e “falsa”.

“Os administradores das páginas e os proprietários das contas normalmente publicavam sobre notícias locais e questões políticas, incluindo temas como as próximas eleições (…) e críticas a adversários políticos”, segundo o comunicado.

No total, pelo menos 206 mil contas seguiam uma ou mais das páginas apagadas, enquanto os administradores gastaram cerca de US$ 39 mil em anúncios no Facebook entre agosto de 2014 e em março passado.

Junto às páginas vinculadas ao Congresso, a companhia americana anunciou o fechamento de uma página e 12 contas de pessoas controladas por associação à empresa de tecnologia indiana Silver Touch.

Essa página contava com cerca de 2,6 milhões de seguidores e costumava compartilhar informação sobre o pleito, o governamental Bharatiya Janata Party (BJP) e “a suposta má conduta dos opositores políticos, incluindo o Partido do Congresso”.

A empresa, cuja lista de projetos inclui o desenvolvimento de sites para o Exército e a Marinha e outras incumbências governamentais, e que já tinha sido vinculada no passado com o BJP após uma investigação do canal indiano “NDTV”, gastou US$ 70 mil em publicidade na rede social.

O poderoso Exército do Paquistão também utilizou contas falsas para espalhar ideias políticas sobre o governo da Índia, tramitar páginas dirigidas à comunidade da disputada região de Caxemira e a admiradores dos militares, entre outras atividades.

O Facebook atribuiu a indivíduos vinculados ao Escritório de Informação do Exército (ISPR) o controle de 24 páginas, 57 contas e sete grupos que somavam pelo menos 2,8 milhões de seguidores.

O escritório de comunicação militar também administrava 15 contas da rede social Instagram.

O fechamento de páginas acontece em meio a uma pressão crescente por parte das autoridades indianas ao Facebook e a meios como Whatsapp para lutar contra as notícias falsas e as informações que possam influenciar nas eleições gerais, que começarão em 11 de abril e terminarão em 19 de maio.

Desde as últimas eleições presidenciais nos Estados Unidos, o Facebook impulsionou várias iniciativas para combater as chamadas “notícias falsas” (fake news), como a vigilância de contas suspeitas.

De melancia a casa: o fotógrafo que transforma tudo em câmera