EUA reabrem fronteiras a turistas vacinados contra Covid e retomam emissão de visto no Brasil


País acabou com 20 meses de restrições devido à pandemia que eram criticadas pela Europa e pelos vizinhos México e Canadá. Viajantes estrangeiros ainda precisam apresentar teste negativo. Fila de acesso à área de segurança do aeroporto internacional de Denver, nos EUA, em 16 de junho de 2021
David Zalubowski/AP
Os Estados Unidos reabriram suas fronteiras terrestres e aéreas a estrangeiros vacinados contra a Covid-19 nesta segunda-feira (8), acabando com 20 meses de severas restrições devido à pandemia que foram criticadas pela Europa e pelos vizinhos México e Canadá.
O país suspendeu todas as restrições de viagens internacionais de todos os países, inclusive o Brasil. Para entrar nos EUA, é necessário estar totalmente imunizado e apresentar o comprovante de vacinação e um teste negativo de Covid-19 feito até três dias antes do embarque.
Também nesta segunda, os Consulados dos EUA voltam a emitir visto para brasileiros. A retomada integral do serviço também vale para quem precisa renovar o documento.
Desde maio de 2020 a emissão de vistos ocorria apenas com vagas limitadas, com prioridade para pessoas em situação de emergência (como as que vão para funerais de familiares ou para tratamento médico, além de vistos estudantis).
Vacinas aprovadas
O governo dos EUA aceita a entrada de visitantes internacionais que tenham tomado vacinas contra a Covid-19 aprovadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) ou pela FDA (autoridade reguladora americana equivalente à Anvisa no Brasil).
Vacinas aprovadas pela FDA até o momento:
Pfizer/BioNTech
Moderna
Janssen (Johnson & Johnson)
Vacinas autorizadas pela OMS até o momento:
Pfizer/BioNTech
Moderna
Oxford/AstraZeneca — produzida no Brasil pela Fiocruz
Janssen (Johnson & Johnson)
SinoPharm
CoronaVac — produzida no Brasil pelo Instituto Butantan