EUA levantam preocupações sobre privacidade em app do Facebook

Senadores dos EUA questionam o Facebook sobre app para crianças

Senadores dos EUA questionam o Facebook sobre app para crianças

Dado Ruvic/Illustration/Reuters

 Os senadores democratas dos Estados Unidos Edward Markey e Richard Blumenthal escreveram para o Facebook questionando se havia um “padrão preocupante” de uma fraca proteção de privacidade para crianças usando o aplicativo Messenger Kids.

Os senadores ficaram “perturbados” ao saber que o aplicativo permitia que milhares de crianças participassem de bate-papos em que nem todos os membros do grupo foram aprovados pelos pais, disseram eles em uma carta endereçada ao presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg.

O aplicativo, lançado em dezembro de 2017, foi projetado para usuários com menos de 13 anos. Ele permite que eles façam bate-papo em vídeo e enviem fotos, vídeos e textos.

“O Facebook tem a responsabilidade de cumprir sua promessa aos pais de que as crianças não estão expostas a contatos não aprovados, uma promessa que parece que o Facebook não cumpriu”, disseram eles.

“A privacidade e a segurança das crianças online devem ser a principal prioridade da Messenger Kids.”

Os senadores buscam transparência e respostas sobre o que a empresa está fazendo para garantir a privacidade e a segurança das crianças online, além de atender às expectativas dos pais e cumprir as obrigações legais.

Eles exigiram que o Facebook respondesse as perguntas até 27 de agosto.

O Facebook não respondeu imediatamente a uma solicitação de comentários fora do horário comercial.