EUA impõem aumento de 25% nas tarifas para produtos chineses

Tarifa sobre importações chinesas são avaliadas em US$ 200 bilhões. Os Estados Unidos impuseram nesta sexta-feira (10) um aumento de 25%, dos atuais 10%, nas tarifas sobre as importações chinesas avaliadas em US$ 200 bilhões, uma medida que esfria ainda mais as negociações com Pequim para conter a guerra comercial entre as duas maiores economias mundiais.
À 0h01 (horário local da Costa Leste dos EUA, 1h01 de Brasília) entrou em vigor o aumento nas tarifas a mais de 5 mil produtos chineses, anunciado no último domingo (5) pelo presidente americano, Donald Trump, e que a China tentou impedir durante as negociações de quinta (9) em Washington.
Fontes da Casa Branca confirmaram pouco antes da meia-noite que as tarifas entrariam em vigor conforme o programado.
Guerra comercial: entenda a tensão entre EUA e outras potências
Quem paga as tarifas de importação impostas por Trump? ENTENDA
O jantar de trabalho realizado pelo principal negociador da China, o vice-primeiro-ministro Liu He, com o chefe de comércio exterior Robert Lighthizer e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, não alterou os planos de Washington.
Liu voltará a se reunir nesta sexta com os negociadores americanos, na tentativa de conseguir um pacto que permita retirar, reduzir ou conter o impacto das tarifas.
No domingo passado, Trump quebrou uma trégua de mais de seis meses na guerra comercial ao anunciar que elevaria para 25% as tarifas que impôs no ano passado sobre produtos chineses no valor de US$ 200 bilhões.
Desta forma, o presidente americano retomava seu plano original de aumentar a carga das tarifas contra esses produtos chineses, após decidir congelar no final do ano passado para abrir uma negociação com a China, que ainda segue ativa.
O anúncio no domingo revolucionou os mercados e aumentou a incerteza sobre as negociações entre as duas potências, que até uma semana atrás parecia estar se aproximando da assinatura de um acordo comercial.
O aumento das tarifas afeta mais de um terço das exportações anuais chinesas para os EUA, incluindo produtos como cereais, têxteis, materiais de construção, produtos químicos e combustíveis.
Além disso, Trump ameaçou impor tarifas também de 25% a outros US$ 325 bilhões em importações da China, o que cobriria o valor total dos produtos chineses importados anualmente pelos EUA.