Etnia Suruí registra 1ª morte de indígena com Covid-19 em Cacoal, RO

Iabibi Suruí estava internado desde 10 de agosto. Etnia já tinha divulgado pedido de socorro por causa do avanço da doença. 1ª Morte do Povo Suruí por COVID-19
Um indígena de 53 anos da etnia Suruí morreu na segunda-feira (24) em Cacoal (RO). Iabibi Suruí foi a primeira vítima da Covid-19 entre o seu povo. A informação da morte foi confirmada pelo Distrito Especial de Saúde Indígena (Dsei).
Iabibi, que integrava a liderança na comunidade, foi internado no último dia 10 de agosto no Hospital São Paulo, em Cacoal, com o novo coronavírus.
Ele ainda foi transferido foi para o Hospital de Emergências e Urgências (Heuro) e, após um agravamento da doença, foi encaminhado ao Hospital Regional de Cacoal, onde acabou morrendo.
À Rede Amazônica, Almir Suruí, uma das principais lideranças da comunidade lamentou a morte de Iabibi.
“Isso vem como fator de não implementação das políticas públicas dentro de uma terra indígena. O governo deveria ter sua responsabilidade de implementar com responsabilidade e de qualidade essa política que todo ser humano tem direito de ter”.
Pedido de socorro
Duas semanas antes da morte do indígena, lideranças do povo paiter Suruí divulgaram um pedido de ajuda para conter a doença na região e solicitaram providências das autoridades.
“O pedido de socorro do povo Paiter Suruí saiu a partir da necessidade do povo Paiter no enfrentamento da Covid-19. A nossa aldeia está realmente com grande dificuldade de infraestrutura para o enfrentamento dessa doença, portanto, vimos que era uma necessidade alertar organizações que são responsáveis por combater essas doenças”, explicou Almir Suruí, uma das lideranças que assinaram a carta.
Covid-19 nas aldeias
De acordo com a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), 14 povos já foram atingidos pela doença em Rondônia, totalizando 1.011 casos confirmados e 19 mortes até o dia 21 de agosto.
Colaborou: Diêgo Holanda*