Espetáculo une alunos e professores em escola pública de São Paulo

Adolescentes falam da experiência na escola

Adolescentes falam da experiência na escola
Divulgação

A Escola Estadual Dr. Alarico Silveira, na Barra Funda, está em festa. Alunos, professores e funcionários estão na expectativa para a estreia do espetáculo [Entre], às 18h30. A peça é o resultado de um trabalho coletivo entre os estudantes e artistas que integram o projeto com-juntos.

Idealizado pela artista plástica e atriz Luiza Gottschalk e pela produtora Daniela Machado por meio da ONG Projeto.ASP, a peça conta com 10 adolescentes, com idades entre 14 e 17 anos, sendo cinco da escola da Barra Funda e cinco de outras escolas da periferia de São Paulo.

Todos participaram de processo seletivo e recebem ajuda de custo. O trabalho foi desenvolvido em dois meses e propõe um diálogo entre as biografias dos adolescentes, a arquitetura da escola, além de música, dança, poesia e artes visuais. A direção é de Emílio Rogê.

“A arquitetura da escola guia o espetáculo, trabalhamos com a observação e percepção dos adolescentes e a relação de cada um com a escola”, conta Luiza. Para a realização de [Entre] houve uma intersecção de linguagens: teatro, dança, improvisação e a iluminação e a arquitetura interagem na peça. “Também participam professores, um agente escolar e uma mediadora de conflitos, o que permite uma visão mais ampla, com diferentes perspectivas do ambiente escolar”.

[Entre] é uma peça/percurso que ativa os espaços da escola e busca refletir sobre a presença das pessoas nele, sejam alunos, funcionários e/ou a comunidade. O trabalho é construído a partir de coreografias e cenas teatrais elaboradas a partir da vivência dos alunos. Juntos, eles também preparam uma lasanha para um jantar coletivo com a plateia.

O projeto nasceu de um desejo de abrir diálogo com a escola pública e de exercitar a cidadania. “O com-juntos é um projeto que, a partir da arte, pretende pensar a educação pública em parceria com a sociedade, diminuir as fronteiras”, afirma Luiza.

E qual o impacto para a escola? O melhor exemplo é o de Angelo, um menino tímido, que mal interagia com os colegas. “Ele chegou dizendo que não gostava de conversar e em um exercício, ele demonstrou muita dificuldade em encostar em outra pessoa”, conta. Após uma série de atividades, o menino já participa do grêmio escolar. “Sem dúvida, o projeto mudou a vida dele e ele mudou a minha vida.”

Serviço:
[Entre] — estreia hoje (9/5), às 18h30 – até 31/5
Quintas e sextas, 18h30
Onde: E. E. Dr. Alarico Silveira (Rua Conselheiro Brotero, 100, Barra Funda)
Grátis
Retirada de ingressos 30 minutos antes do espetáculo
Lotação: 50 pessoas