Epic Games, desenvolvedora de ‘Fortnite’, entra com nova ação contra Apple por outras restrições


Empresa de games já tinha processado fabricante após jogo ser retirado da App Store, e diz que novas medidas podem causar ‘dano irreparável’. ‘Fortnite’ é desenvolvido pela Epic Games
Divulgação
A Epic Games, desenvolvedora de “Fortnite”, entrou com nova ação contra a Apple nesta segunda-feira (17), na qual acusa a fabricante de ameaçar tomar medidas que podem causar “dano irreparável”.
Segundo o pedido de medida restritiva, a Apple disse que vai cortar o acesso da Epic a ferramentas de desenvolvimento usadas para integrar seu sistema gráfico, o Unreal Engine, a sistemas operacionais da fabricante, como macOS e iOS.
A briga começou quando a Epic criou um sistema interno de pagamentos para “Fortnite”, um dos games mais populares do mundo, que burlava as taxas cobradas por Apple e Google.
Por considerarem que a medida ia contra suas regras, na quinta-feira (13) as duas empresas tiraram a versão para aparelhos móveis do jogo de suas lojas de aplicativos, o que motivou processos movidos pela Epic.
Na nova ação, a desenvolvedora pede que a Justiça impeça que a Apple tome qualquer atitude até que o caso seja julgado. Segundo ela, a fabricante está tentando destruir a Epic ao prejudicar o Unreal, que não violou qualquer política da App Store.
Initial plugin text
“A retaliação da Apple representa uma ameaça existencial ao Unreal Engine da Epic”, afirma a desenvolvedora na ação.
De acordo com a Epic, sem o acesso a essas ferramentas, a empresa não conseguirá desenvolver novas versões do sistema gráfico para sistemas operacionais da Apple.
“Desenvolvedores que quiserem vender seus aplicativos para uso em aparelhos com iOS ou macOS terão de trocar o Unreal Engine por outros sistemas. Os efeitos vão reverberar muito além de games; vai afetar desenvolvedores que usam o Unreal Engine em produtos Apple em muitos campos”, diz o documento.
“O impacto na viabilidade do Unreal Engine, e a confiança que desenvolvedores têm nesse sistema, não pode ser reparado com dinheiro. Este é um dano irreparável por excelência.”
A Apple ainda não se manifestou sobre a nova ação movida.