Entenda a lesão e a cirurgia cerebral do filho de Angélica e Huck

Benício está internado sem previsão de alta

Benício está internado sem previsão de alta
Reprodução/Instagram

Lesões na cabeça, como a que sofreu o filho de Angélica e Luciano Huck, são sempre motivo de atenção especial por parte dos médicos.

Benício, de 11 anos, acidentou-se no mar, no sábado, enquanto praticava wakeboard e foi submetido a uma cirurgia neurológica na madrugada de domingo (23).

No boletim médico divulgado pelo hospital, no Rio de Janeiro, consta que ele sofreu “traumatismo cranioencefálico com afundamento têmporo parietal” e “hematoma extradural subjacente ao afundamento”.

Sem ter conhecimento específico do caso, o neurocirurgião e professor Hélio Machado, do Departamento de Cirurgia e Anatomia da FMRP-USP (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo), afirma que essa lesão se dá devido ao choque com algum objeto.

“Um trauma de crânio com afundamento significa que teve algum objeto que causou esse trauma, com algum tipo de ponta, não precisa ser cortante, mas suficiente para afundar o crânio.”

Segundo o médico, o crânio de uma criança é mais fino do que de um adolescente e de um adulto.

“A gente acredita que [o afundamento] seja um mecanismo de defesa para o próprio cérebro, porque dissipa a energia do impacto.”

Esse afundamento causa uma lesão na meninge, que reveste o cérebro, que é descrita no boletim como “hematoma extradural”.

Machado explica que a cirurgia é feita para drenar o sangue que se forma e para levantar o osso do cérebro.

“É um procedimento relativamente simples”, acrescenta.

Os médicos informaram que Benício “encontra-se lúcido, orientado, movimentando os quatro membros, respirando por meios próprios e estável sob o ponto de vista neurológico e hemodinâmico”. No entanto, não há previsão de alta.