Enem 2021: 1º dia na região de Campinas tem surpresa com temas, histórias inspiradoras e barrados por falta de documento


Segundo Inep, 34,3 mil candidatos da região eram esperados em 19 cidades; segunda prova será em 28 de novembro. Redação abordou ‘registro civil e cidadãos invisíveis’, e questões abordaram assuntos como ‘Admirável Gado Novo’, racismo, indígenas, erotização da mulher e mineração Candidatos na saída do local de provas na Unip, em Campinas
Rubens Morelli/ g1
O primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021 na região de Campinas (SP) teve surpresa dos candidatos com temas, histórias inspiradoras e estudantes barrados na entrada porque deixaram de levar documentos originais e com foto aceitos para acesso às salas. Ao todo, 34,1 mil se inscreveram para as modalidades impressa e digital do processo. Veja abaixo detalhes.
Conteúdo surpreende
A avaliação com duração de 5h30 foi composta por uma redação sobre ‘invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil’. A relevância foi elogiada por professores ouvidos pelo g1.
Além disso, também foram apresentadas aos candidatos 45 questões testes de linguagens e 45 de ciências humanas que contemplaram assuntos como a música ‘Admirável Gado Novo’, racismo, indígenas, erotização da mulher e mineração. A segunda prova está marcada para 28 de novembro.
PROFESSORES CORRIGEM E COMENTAM A 1ª PROVA DO ENEM
VEJA COMO FOI A COBERTURA EM TEMPO REAL NA REGIÃO
Candidatos ouvidos pela reportagem em Campinas relataram surpresa com os conteúdos, sobretudo pela falta de abordagem da pandemia da Covid-19 ou reflexos provocados pela crise sanitária.
“Eu acho que eles tentaram: ‘não vamos falar sobre isso porque está muito atual, muito polêmico’. Aí não abordaram isso. Fiz a prova da Unicamp e lá tinha bastante coisa muito mais atual como, por exemplo, a pandemia. Ela [primeira prova do Enem] foi mais conservadora. Isso é nítido”, avaliou o estudante Nicolas Rhannan, de 20 anos, que fez a prova na Unip Swift, em Campinas.
Nicolas Rhannan, de 20 anos, avaliou a prova como ‘conservadora’
Rubens Morelli/ g1
O tom de questionamento foi compartilhado pelo estudante Renan Julião Grimaldi, de 24 anos, que fez a prova no Liceu Salesiano. Embora tenha elogiado o tema da redação e considerado que assuntos importantes foramcobrados dos candidatos, para ele faltaram temas mais atuais.
Ele cursa o quinto ano de geologia pela Unicamp e decidiu, durante a pandemia, trocar de área: planeja estudar música uma vez que toca piano há dez anos. “Música é uma coisa que sempre me acompanhou, sempre quis estudar, e agora surgiu a oportunidade […] A pandemia ajudou a ter uma visão de fora, não naquela rotina, essa perspectiva diferente”, ponderou.
A candidata Beatriz Oliveira, de 21 anos, considerou que o exame apresentou um nível de dificuldade superior ao de anos anteriores, mas também avaliou que ficaram de fora questões mais atuais. Já a estudante Sueli Lima da Conceição, de 38, fez o Enem pela quinta voz e disse que a prova foi longa.
“Textos longos, tirinhas […] Estamos vivendo um momento difícil”, falou ao considerar que Enem talvez tenha deixado temas mais polêmicos ou atuais de fora na tentativa de “acalmar os ânimos”.
Sueli Lima da Conceição
Rubens Morelli / g1
Histórias inspiradoras
Em meio às expectativas para início do processo seletivo, também houve espaço para histórias inspiradoras. Uma delas é a do administrador José Francisco da Silva, de 72 anos, que não se intimidou em prestar o Enem pela primeira vez. O sonho dela é atuar na área de odontologia.
“Nunca é tarde para a gente aprender. O conhecimento é uma coisa que renova a gente, revitaliza, rejuvenesce”, afirma.
O administrador José Francisco da Silva, de 72 anos, presta o Enem em Campinas neste domingo
Rubens Morelli/ g1
Já Antônio Carlos Pereira, de 65 anos, decidiu ficar em frente ao Liceu Salesiano, apesar do domingo de sol e forte calor, para apoiar a filha Nicole e duas amigas dela com orações.
“Para passar boas energias para minha filha estou orando. Pedindo a Deus que Deus dê sabedoria para ela, para ela ter boas notas. Que consiga boas notas para fazer o curso que ela pretende”.
Antônio Carlos ficou em frente ao Liceu Salesiano
Rafael Smaira / g1
A pedagoga Adriana Pitel, 50 anos, decidiu colocar a leitura em dia enquanto esperava o filho Luiz Augusto Galucci, de 19, durante a prova do Enem. Viúva há nove anos, ela ressaltou que permanecer perto do local do exame permite a passagem de energia para auxiliar o filho durante o processo.
Ela teve a mesma iniciativa há duas semanas, quando o jovem fez a 1ª fase do vestibular 2022 da Unicamp. O filho tenta uma vaga na carreira de engenharia mecânica da universidade estadual.
A pedagoga Adriana Pitel, 50 anos, ao lado de fora do local de prova em Campinas
Rubens Morelli/ g1
Barrados por falta de documento
A aplicação do primeiro de provas do Enem terminou sem incidentes na metrópole. Durante a reportagem na Unip, pelo menos cinco candidatos tiveram o acesso barrado por falta de apresentação de um documento de identificação original e com fotografia. A lista é prevista em edital; veja abaixo.
Além disso, o g1 apurou o caso de uma candidata que se confundiu com o horário estabelecido para o processo chegou perto das 13h30 – horário de início da prova – enquanto os portões fecharam às 13h.
Candidatos durante a prova no Liceu Salesiano, em Campinas
Rafael Smaira / g1
A aplicação da prova impressa do Enem 2021 na região ocorreu em 19 cidades. Confira detalhes:
Enem 2021 na região de Campinas – prova impressa
Procurado pelo g1, o Inep não informou o número de locais de aplicação da prova em cada cidade, nem apresentou posicionamento sobre a redução na quantidade de candidatos inscritos na região.
Versão digital
O levantamento da instituição mostra, ainda, que 1,8 mil candidatos estavam aptos a fazer a modalidade digital, aplicada em Americana (SP), Campinas (SP), Indaiatuba (SP) e Jaguariúna (SP). No ano passado, primeira edição neste formato, o total chegou a 2,4 mil nesta mesma área, diz o Inep.
O conteúdo da prova é igual e aplicado em locais definidos pelo instituto.
2ª prova – 28 de novembro
Conteúdo: 45 questões de matemática; 45 questões de ciências da natureza
Abertura dos portões: 12h
Fechamento dos portões: 13h
Início das provas: 13h30
Saída sem caderno de questões: 15h30
Saída com caderno de questões: 18h
Término das provas 1º dia: 18h30
Regras de prevenção à Covid-19
O uso de máscara pelo candidato é obrigatório durante a prova para reduzir o risco de transmissão do novo coronavírus. O edital também determina aplicação de álcool em gel na higienização das mãos.
O descumprimento dos protocolos de prevenção à Covid-19 é considerado critério de eliminação.
O que pode levar para a prova do Enem 2021?
Há dois itens obrigatórios para que o estudante possa fazer a prova, e uma lista de objetos que são permitidos, dependendo de uma série de situações. Veja abaixo quais são:
Obrigatório: a caneta deve ser esferográfica, de tinta preta, fabricada em material transparente;
Obrigatório: o acesso à sala de provas só será permitido mediante apresentação de um documento de identificação original e com foto, como: identidade, carteira de registro nacional migratório, carteira de trabalho, certificado de reservista, passaporte e carteira de motorista;
Caso o documento tenha sido roubado ou furtado antes do exame, o candidato deverá apresentar o boletim de ocorrência expedido pela polícia há, no máximo, 90 dias. Também deverá passar por uma coleta de dados durante procedimento de identificação especial;
Candidatos que apresentem documentos permitidos e originais, mas danificados ou com foto infantil, podem fazer a prova, desde que se submetam a uma identificação especial;
Participantes que solicitaram atendimento especializado para cegueira, surdocegueira, baixa visão e visão monocular podem utilizar os seguintes materiais: máquina Perkins, reglete, punção, sorobã ou cubaritmo, caneta de ponta grossa, tiposcópio, assinador, óculos especiais, lupa, telelupa, luminária e tábuas de apoio. Eles também podem ser acompanhados por cão guia;
Artigos religiosos, como quipá, são permitidos, mas devem ser verificados por um funcionário.
Cartão de confirmação – não obrigatório – tem dados relevantes sobre o local da prova;
O que NÃO pode levar para a prova do Enem 2021?
Documentos como certidão de nascimento ou de casamento, título eleitoral, CNH anterior a 1997, carteirinha de estudante, crachás, vias digitais ou cópias autenticadas não serão aceitos;
Celulares e equipamentos eletrônicos devem ser desligados e guardados em um envelope lacrado, que permanecerá debaixo da carteira. Entram na lista: calculadoras, agendas eletrônicas, tablets, ipods, gravadores, pen drive, relógio, chaves com alarme e fones de ouvido;
Durante a aplicação do exame, se algum aparelho, mesmo que devidamente guardado, emitir som, o candidato será eliminado. Lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borracha, régua, corretivo, livros, manuais e anotações são proibidos – devem ser mantidos no envelope;
Qualquer dispositivo que receba imagens, vídeos ou mensagens é vetado;
Óculos escuros, bonés, chapéus, viseiras ou gorros não são permitidos;
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no g1 Campinas.