Em pedido de falência, BR Pharma diz não ver chance de superar crise


Venda da Farmais, varejista controlada pela empresa, está suspensa após decisão judicial. Unidade da Farmais no Aeroporto de Guarulhos.
Reprodução/Facebook
A Brasil Pharma “não vislumbra mais a possibilidade de viabilização da superação da sua situação de crise econômico-financeira”, uma vez que a venda da Farmais, varejista controlada pela empresa, está suspensa após decisão judicial. A informação consta do pedido de falência encaminhado à Justiça.
No documento, enviado à 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo e disponibilizado no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a companhia afirma que a alienação dos pontos comerciais era sua principal medida de recuperação e “chance de soerguimento”.
No início de março, a Panpharma, uma das maiores distribuidoras do setor farmacêutico, obteve liminar em segunda instância que suspendeu o plano de recuperação judicial da Brasil Pharma, que incluía a venda da Farmais. O plano havia sido apresentado em janeiro de 2018 e homologado em novembro do mesmo ano.
“Diante de tal decisão, a alienação de seus pontos comerciais e demais ativos restou comprometida, dada a falta de segurança jurídica que pairou sobre os potenciais arrematantes”, diz trecho do pedido de falência. “E nem é preciso dizer que tal cirscunstância prejudicou sobremaneira a continuidade do cumprimento das obrigações e o pagamento dos credores.”
A companhia diz ainda no documento que não é novidade para nenhum dos envolvidos na recuperação judicial que ela tem operado com “um apertadíssimo fluxo de caixa”, sendo obrigada a demitir funcionários e encerrar atividades em filiais.
O escritório Thomaz Bastos, Waisberg, Kurzweil Advogados assessora a BR Pharma.