Em menos de duas semanas, onça-parda é novamente registrada em área urbana de Presidente Prudente; veja VÍDEO


Câmeras capturaram a presença do felino em uma rua no Jardim Vale do Sol. Polícia Ambiental monitora pontos com informações de eventual aparecimento do animal. Onça-parda foi vista no Jardim Vale do Sol por meio de câmeras
Mais um registro de observação de onça-parda (Puma concolor) foi feito na área urbana de Presidente Prudente (SP). A Polícia Militar Ambiental informou ao g1 na manhã desta segunda-feira (4) que monitora o aparecimento do felino. Em menos de duas semanas, foram três relatos de visualização, de acordo com a corporação.
A mais recente visualização foi na última sexta-feira (1º), no Jardim Vale do Sol. Câmeras de segurança de uma conveniência registraram a passagem do felino por uma rua do bairro.
O proprietário do estabelecimento, João Aparecido Ferreira, contou ao g1 que estava limpando o local, depois do vendaval e da chuva, quando os cachorros “começaram a latir muito”. “Aí olhei na câmera e vi [a onça]”, lembrou.
Ferreira ainda relatou que a curiosidade o fez sair na rua junto com uma de suas cachorras, que começou a farejar o espaço entre a calçada e uma pracinha, por onde a onça passou. Porém, depois João achou melhor entrar e levar a cadelinha.
“Saí lá fora pra ver, mas não tive sorte”, disse ao g1.
Onça-parda foi vista em rua do Jardim Vale do Sol, em Presidente Prudente
Cedida/João Ferreira
Monitoramento
De acordo com o capitão Júlio Cesar Cacciari de Moura, que responde pela 3ª Companhia da Polícia Militar Ambiental, a corporação está fazendo o monitoramento dos pontos em que é informado o eventual aparecimento da onça-parda, tendo em vista a grande extensão que ela vem percorrendo.
“São animais que utilizam grandes espaços, chegando a áreas superiores a 100 quilômetros quadrados”, explicou ao g1.
O oficial ainda comentou que, de momento, é inviável a captura do felino com contenção ou disposição de armadilhas.
“Aquele que visualizar o animal em área urbana deve imediatamente acionar o policiamento ambiental indicando o endereço que foi visualizado. Salientamos a importância de não acuar o animal”, orientou o capitão. “Caso visualize, entre em contato conosco pelo telefone ou WhatsApp 3906-9200”.
Ainda conforme declarou o oficial, as onças-pardas são animais de hábitos solitários e territorialistas, tendo maior atividade ao entardecer e à noite. Esse felino possui tendência natural a se afugentar quando percebe a aproximação humana.
Câmeras de condomínio registraram movimentação de onça e carro da família
Observações
Um dos registros foi feito por uma família que trafegava por uma avenida do Parque Residencial Funada, na zona oeste de Presidente Prudente, na noite de 21 de setembro. O trajeto, que até então era rotina, virou “aventura” e marcou os prudentinos naquela data.
Segundo a Polícia Militar Ambiental, houve outro avistamento do felino às margens do Balneário da Amizade e, agora, no Jardim Vale do Sol.
VEJA TAMBÉM
Percurso de família vira ‘safári’ após flagra de onça-parda, ameaçada de extinção, passeando em avenida na zona urbana de Presidente Prudente; veja VÍDEO
Ao verificar câmera de segurança, morador de Presidente Prudente constata ‘visita’ de tamanduá-mirim; veja VÍDEO
Ameaçada de extinção, onça-parda aparece embaixo de carro em garagem de residência em Presidente Venceslau; veja VÍDEO
Perda de habitat
André Gonçalves Vieira, biólogo responsável por diversos levantamentos de fauna em Presidente Prudente, declarou ao g1 que esta visualização ocorreu a, mais ou menos, quatro quilômetros de distância do registro feito pela família e compreende a rota composta por córregos e matas.
Segundo o biólogo, a onça-parda não tem o hábito de atacar pessoas, a não ser que se sinta acuada, com filhotes ou extrafragilidade alimentar.
“Infelizmente, com a perda de seu habitat natural (cobertura vegetal nativa) e, consequentemente, queda de presas (alimentos), esse animal passa cada vez mais ser observado próximo de áreas urbanas”, salientou Vieira.
De acordo com o especialista, “pelas primeiras imagens trata-se de um animal jovem e que pode estar se beneficiando de pequenas presas dessa região”.
“Cabe ressaltar que partes desses córregos são cercados com alambrados e possuem altura considerável entre o leito dos córregos e suas margens. Sendo um ambiente de certa forma seguro para a locomoção do animal”, explicou o biólogo ao g1.
Quando a família viu o felino, o biólogo Rondinelle Artur Simões Salomão, professor doutor na Universidade do Oeste Paulista (Unoeste), em Presidente Prudente, explicou que “provavelmente este animal estava transitando entre os fragmentos de área verde preservados que existem no local em busca de presas e/ou abrigo, uma vez que o Balneário da Amizade propicia um ambiente adequado a sobrevivência de diferentes espécies”.
“Uma das maiores ameaças à sobrevivência dos felinos selvagens em todo o mundo é a perda de habitats em virtude da expansão urbana, da matriz agropecuária, a retaliação por predação de animais domésticos e os atropelamentos. Portanto, é sempre importante obedecer aos limites de velocidade das vias e se manter atento”, salientou ao g1.
Salomão ainda orientou que, ao avistar um animal selvagem nas vias, é importante manter uma distância considerável e não tentar afugentá-lo.
“Esses animais não oferecem riscos diretos aos seres humanos e, se não forem incomodados, seguirão seu caminho. Onças-pardas só se defendem nos casos em que ficam acuadas ou estão protegendo suas crias”, ressaltou.
Câmeras de segurança de condomínio registraram movimentação de onça-parda no Residencial Funada
Reprodução
VÍDEOS: Tudo sobre a região de Presidente Prudente
Ferreira ainda relatou que a curiosidade o fez sair na rua junto com uma de suas cachorras, que começou a farejar da calçada até uma pracinha. No momento, João achou melhor entrar e levar a cadelinha.
Veja mais notícias em g1 Presidente Prudente e Região.