Eliana Pittman dá voz a 12 músicas do repertório de Elizeth Cardoso em álbum que compila registros de lives


♪ Eliana Pittman festeja 76 anos de vida – completados ontem, sábado, 14 de agosto – com mais um álbum na discografia iniciada há 60 anos com a edição de single de 78 rotações lançado pela cantora carioca em 1961 através da gravadora Mocambo.
O álbum Canções de Elizeth chegou ao mundo digital na sexta-feira, 13 de agosto, véspera do aniversário da artista, em edição da gravadora Nova Estação, do produtor Thiago Marques Luiz.
Como o título já informa, Canções de Elizeth é disco em que Eliana Pittman dá voz a músicas do repertório da conterrânea Elizeth Cardoso (16 de julho de 1920 – 7 de maio de 1990), cantora carioca que marcou época na música brasileira, sobretudo nos anos 1950 e 1960, pela classe da voz e pela alta categoria da maior parte do repertório que registrou em coerente discografia.
Em Canções de Elizeth, álbum cuja capa expõe a cantora em foto de Murilo Alvesso enquadrada na arte de Leandro Arraes, Eliana Pittman interpreta 12 músicas alinhadas em dez faixas.
Trata-se de compilação de registros de números musicais feitos por Eliana na série de lives 100 anos de Elizeth Cardoso, idealizadas por Thiago Marques Luiz, gravadas em estúdio e apresentadas em novembro de 2020 dentro das celebrações do centenário de nascimento da cantora conhecida pelo epíteto de Divina.
♪ Eis, na ordem do disco, as 12 músicas revividas por Eliana Pittman nas dez faixas do álbum Canções de Elizeth :
1. A flor e o espinho (Nelson Cavaquinho, Guilherme de Brito e Alcides Caminha, 1957) / O amor e a rosa (Ayres da Costa Pessoa e Antônio Maria, 1960)
2. Consolação (Baden Powell e Vinicius de Moraes, 1963)
3. Barracão (Luís Antonio e Oldemar Magalhães, 1953),
4. Canção de amor (Chocolate e Elano de Paula, 1950)
5. Folha morta (Ary Barroso, 1953)
6. Na cadência do samba (Ataulfo Alves e Paulo Gesta, 1962) / Mulata assanhada (Ataulfo Alves, 1956)
7. Molambo (Jayme Florence e Augusto Mesquita, 1953)
8. Nossos momentos (Haroldo Barbosa e Luís Reis, 1960)
9. Manhã de Carnaval (Luiz Bonfá e Antônio Maria, 1959)
10. Se todos fossem iguais a você (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1956)