Edson José Alves, arranjador e violonista da Banda Mantiqueira, morre aos 68 anos


Edson José Alves, violonista e arranjador, em foto de 2009
Reprodução / Facebook Edson José Alves
♪ OBITUÁRIO – Há músicos que vivem para e pela música, sem a preocupação de ficar sob os holofotes. O violonista, compositor, arranjador, maestro e produtor musical paulistano Edson José Alves (7 de julho de 1951 – 4 de março de 2020) foi um desses músicos. Um dos maiores ouvidos no Brasil.
O chamado grande público não o conheceu pelo nome. Mas certamente já ouviu sons produzidos, arranjados ou regidos por Edson José Alves. Já o meio musical não somente o conheceu pelo nome, como o reverenciou pelo virtuosismo e pela musicalidade singular, lamentando a morte do artista aos 68 anos, ocorrida na quarta-feira, 4 de março, de causa não revelada pela família em comunicado em rede social sobre o falecimento e a cerimônia de cremação, realizada nesta quinta-feira, 5, na cidade de São Paulo (SP).
Como músico e/ou arranjador, Edson José Alves esteve ligado à Banda Mantiqueira e ao trabalho de cantores como Chico Buarque, Renato Braz, Rolando Boldrin e Simone, entre outros artistas brasileiros e internacionais.
Em carreira solo como compositor e músico, Edson José Alves lançou os álbuns Meu violão brasileiro (1983), Preamar (1988) e Rádio (1993). O primeiro disco foi pautado por abordagens de sucessos da MPB. Já Preamar e Rádio apresentaram repertórios compostos por temas autorais desse grande e polivalente artista.