Dólar opera em alta e bate R$ 4, com cena política local e disputa comercial entre EUA e China

No dia anterior, moeda norte-americana avançou 0,52%, a R$ 3,9966, e encerrou no maior patamar desde outubro do ano passado. Como a disputa entre EUA e China influencia os preços no Brasil
O dólar opera em alta nesta quinta-feira (16), acima de R$ 4, com os investidores atentos à cena política local e acompanhando desdobramentos na disputa comercial entre Estados Unidos e China, que segue pressionando mercados emergentes.
Às 9h38, a moeda norte-americana subia 0,25%, vendida a R$ 4,0067. Veja mais cotações. Na máxima da sessão, chegou a R$ 4,0077.
No dia anterior, a moeda norte-americana avançou 0,52%, a R$ 3,9966 – maior patamar de fechamento desde 1º de outubro (R$ 4,0174). Durante o pregão, chegou a bater R$ 4,02. No mês, a alta acumulada é de 1,93%, e no ano, de 3,16%.
Guerra comercial
A China criticou nesta quinta-feira a decisão do governo dos Estados Unidos de colocar a gigante de equipamentos de telecomunicações Huawei em uma lista negra e disse que adotará medidas para proteger suas empresas, em mais um teste para as relações entre as duas potências.
A China se opõe fortemente à imposição por outros países de sanções unilaterais a entidades chinesas, disse um porta-voz do Ministério do Comércio, destacando que os EUA devem evitar impactar ainda mais as relações comerciais entre os dois países.
O presidente dos EUA, Donald Trump, assinou na quarta-feira um decreto impedindo empresas do país de usarem equipamentos de telecomunicações feitos por companhias consideradas como risco à segurança nacional. A China disse que adotará todas as medidas necessárias para proteger os direitos legítimos das empresas chinesas.
Atuação do BC
O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 5,05 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de julho, no total de US$ 10,089 bilhões.