Disco com obra de Claudio Santoro para violino e piano inclui peças inéditas do compositor erudito


Álbum duplo sai em dezembro e estende as comemorações do centenário de nascimento do artista amazonense. Claudio Santoro (1919 – 1989) tem obras inéditas em disco apresentadas em álbum duplo com obra do compositor
Acervo família de Claudio Santoro / Divulgação Selo Sesc
♪ Um dos nomes mais relevantes do universo brasileiro da música clássica, o compositor, violinista e maestro amazonense Claudio Santoro (23 de novembro de 1919 – 27 de março de 1989) deixou obra que abrange 14 sinfonias, uma ópera e numerosas peças de câmara.
O legado autoral do artista gera mais um disco. Programado pelo Selo Sesc para ser editado em 2 de dezembro, o álbum duplo Claudio Santoro – Obra completa para violino & piano reúne, em 24 faixas, registros de temas do compositor com os toques do violonista Emmanuele Baldini – músico italiano radicado no Brasil e spalla da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) – e do pianista Alessandro Santoro, filho de Claudio e responsável pelo acervo do pai.
O primeiro disco reúne cinco sonatas para violino e piano criadas por Santoro, abarcando duas facetas importantes – o dodecafonismo dos anos 1940 e o nacionalismo da década de 1950 – da obra do compositor.
O segundo disco traz mais uma sonata, além de obras inéditas, até então sem registro fonográfico. São os casos das peças Sicilienne op.1 para violino e piano e Op.4 para violino e piano, escritas respectivamente em junho e em setembro de 1937, quando Santoro tinha apenas 17 anos, e consideradas as primeiras obras oficiais do compositor.
Entre os temas inéditos em disco, há também Elegia II para violino e piano, peça de 1986 que representa o último período de criação do compositor, e os dois movimentos da Sonata 1939 para violino e piano (Allegro e Andante).
Capa do álbum ‘Claudio Santoro – Obra completa para violino & piano’
Divulgação