De origem armênia, Kim Kardashian e vocalista do System of a Down comemoram declaração de Biden que reconhece genocídio


Reconhecimento, que era uma reivindicação histórica, foi celebrado pela comunidade armênia nos EUA e no mundo. Kim Kardashian faz festa de 40 anos em ilha particular
Reprodução/Twitter/Kim Kardashian
Celebridades americanas com origem armênia celebraram neste sábado (24) a declaração do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que reconheceu como genocídio o massacre sofrido pelo povo armênio há 106 anos (saiba mais no fim da reportagem).
Biden reconhece massacre de 1,5 milhão de armênios como genocídio
A socialite Kim Kardashian publicou nas redes sociais uma mensagem em que agradeceu a Biden pelo reconhecimento do genocídio. No post, a nova bilionária afirmou que “foi uma longa jornada pra a comunidade armênia”, mas que a cada ano ela sentia que se chegava “mais perto” dessa medida.
“Mesmo que nada possa trazer de volta os armênios assassinados, eu espero que suas famílias agora tenham um sentimento de paz”, escreveu Kim Kardashian.
“Eu vou continuar honrando e me lembrando daqueles que perdemos, todos os anos neste dia, mas agora com a esperança que, com o reconhecimento, nunca mais permitiremos que atrocidades do passado se repitam”, completa o post.
O vocalista Serj Tankian durante o show do System of a Down no Palco Mundo no Rock In Rio em 2015
Flavio Moraes/G1
Nascido no Líbano e com cidadania americana, o vocalista da banda System of a Down, Serj Tankian, também celebrou o reconhecimento do genocídio e agradeceu a Biden. O cantor é descendente de armênios que fugiram da matança no território hoje pertencente à Turquia há mais de 100 anos, e uma das principais vozes da causa armênia no mundo.
“Isso [o reconhecimento] é extremamente importante, mas apenas um marco rumo ao longo caminho de justiça com a Turquia”, publicou nas redes sociais.
Serj Tankian: rock, ativismo e System of a Down
A banda, como um todo, também se pronunciou — há outros integrantes de origem armênia. “Queremos reconhecer e agradecer a todos vocês que nos apoiaram ao longo dos anos, levantando suas vozes pelo apoio a esta causa”, escreveu o perfil do System of a Down no Twitter.
Recentemente, o vocalista Serj Tankian se pronunciou sobre a crise no Cáucaso entre Armênia e Azerbaijão, que disputam o território de Nagorno-Karabakh. Relembre no VÍDEO abaixo.
Vocalista do System of a Down fala sobre conflito entre Armênia e Azerbaijão
Biden reconhece massacre como genocídio
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, reconheceu neste sábado (24) como um genocídio os assassinatos em massa sofridos pelo povo armênio no início do século XX pelas mãos do Império Otomano.
Com a declaração, dada exatamente no dia em que se relembra os 106 anos do início dos massacres, Biden atende a uma reivindicação histórica da Armênia — ex-república soviética localizada no Cáucaso que tem uma grande comunidade nos Estados Unidos.
“Todos os anos, neste dia, lembramos a vida de todos aqueles que morreram no genocídio armênio pelo Império Otomano e nos comprometemos a prevenir tal atrocidade de ocorrer novamente”, disse Biden.
Armênios celebram reconhecimento de Biden como genocídio o massacre do século XX
A declaração foi bem recebida pelo primeiro-ministro da Armênia, Nikol Pashinian, que disse a Biden que o reconhecimento do massacre como genocídio é importante “para prevenir a repetição de crimes como esse”. Os armênios comemoraram a medida de Biden, veja no VÍDEO acima.
Do outro lado, a Turquia, sucessora do Império Otomano e que nega o genocídio, reagiu em seguida: “Aconselhamos o presidente dos EUA a olhar para o seu próprio passado e presente”, disse o porta-voz da presidência turca, Ibrahim Kalin.