De olhos vermelhos, rã descoberta no Equador é batizada em homenagem à banda Led Zeppelin


Animal foi encontrado na região dos Andes equatorianos e é ameaçado pelo avanço da agricultura local. Rã de olhos vermelhos descoberta no Equador foi batizada como ‘Pristimantis ledzeppelin’
David Brito-Zapata/Universidade San Francisco de Quito
Seus olhos vermelhos impactantes chamaram a atenção dos pesquisadores, que decidiram batizar de Led Zeppelin uma nova espécie de rã terrestre descoberta no Equador. A homenagem à banda de rock britânica também quer aproximar os anfíbios da população em geral.
A Pristimantis ledzeppelin pode medir entre 2,4 e 3,6 centímetros e foi descoberta pelos equatorianos David Brito-Zapata e Carolina Reyes, cientistas do Museu de Zoologia da Universidade San Francisco de Quito.
LEAI TAMBÉM:
Fóssil de aranha que homenageia Pabllo Vittar deixa o Brasil, e MPF apura se houve tráfico
Aranha é batizada em homenagem a personagem de ‘Harry Potter’
Nova espécie de sapo é descoberta na Serra da Mantiqueira
Eles capturaram três espécimes da rã entre 2016 e 2019, na comunidade de Rio Branco, província amazônica de Zamora Chinchipe, mas foi nesta semana que a pesquisa foi publicada na revista especializada “Neotropical Biodiversity”.
“Somos amantes do rock e dessa banda [Led Zeppelin] em particular”, disse Brito à AFP.
A banda dos britânicos Jimmy Page, Robert Plant, John Paul Jones e John Bonham fez muito sucesso durante a década de 1970 com clássicos como “Stairway To Heaven” (1971) e “Whole Lotta Love” (1969).
Reyes, quem também assina a descoberta, afirmou que o nome “chamativo” tem o objetivo de promover a preservação da região dos Andes equatorianos, “tomando essa espécie como bandeira”.
Mapa identifica a área onde a ‘Pristimantis ledzeppelin’ foi identificada
Universidade San Juan de Quito
A pesquisadora, que em seis anos de trabalho descreveu cerca de 20 espécies de anfíbios para a ciência, disse que essa foi a primeira vez que escolheram dar um nome que não se refere a algo relacionado à localidade ou ao Equador.
Corrida contra o tempo
Os exemplares de Pristimantis ledzeppelin chamaram primeiramente a atenção de Brito-Zapata, por seus olhos vermelhos.
Embora ele já tivesse visto rãs com essa característica, essa também tem cores e tamanho diferentes. A nova espécie apresenta manchas laranja, com tons de cobre e amarelas nas virilhas.
“É uma rã muito bonita, porque tem olhos vermelhos e seu padrão de coloração difere um pouco entre machos e fêmeas”, explicou o cientista. “É bastante atraente.”
Por enquanto, a espécie é considerada endêmica da Cordilheira do Condor, cadeia montanhosa situada ao leste do corpo principal dos Andes e com fauna e flora ricas.
Embora mais estudos devam ser feitos sobre a ecologia da espécie, a Pristimantis ledzeppelin é considerada ameaçada, pelo fato de atividades de pecuária, agricultura e mineração serem desenvolvidas em seu habitat.
“No Equador, temos muitas espécies para descrever. É uma corrida contra o tempo, pelas ameaças que elas enfrentam”, disse Reyes.