Coronavírus é tema de quase 500 músicas nas plataformas de streaming: da cumbia ao axé


Além de canções mais oportunistas como ‘Senta no álcool gel’, remixes dos DJs Pedro Sampaio (com Arnaldo Antunes) e Snake (com Cardi B) são destaques. Ouça faixas. O coronavírus privou os fãs de música de ver shows no primeiro semestre, adiados ou cancelados. Por outro lado, a doença também virou inspiração para candidatos a hits (ouça acima no podcast G1 Ouviu).
No dia 3 de março, o site americano Quartz notou que estava cheio de artista desconhecido tentando surfar no interesse pelo termo coronavírus. Foram encontradas 65 músicas no Spotify com a palavra no título.
E esse oportunismo se espalhou tão rápido quanto o vírus. Quinze dias depois, já são 478 faixas com coronavírus no nome, todas de artistas irrelevantes. Até agora nenhuma dessas quase 500 músicas sobre o coronavírus entrou em paradas do streaming.
Remixes inspirados pelo coronavírus: Mister Cumbia, Cardi B e Pedro Sampaio
Reprodução/Redes sociais dos artistas
Da cumbia…
Uma delas leva o nome de “La cumbia del coronavírus”, de um cantor mexicano chamado Iván Montemayor, ou Mister Cumbia.
…ao axé
No Brasil, o coronavírus foi criado em ritmo de axé. O grupo baiano La Fúria, liderado pelo cantor Bruno Magnata, lançou a música “Senta no álcool gel”.
O La Fúria costuma transformar notícias de todo tipo em músicas de gosto duvidoso. São os mesmos que fizeram uma música sobre o ator Fábio Assunção.
A música viralizou, mas foi alvo de críticas. Em vez de processar o grupo, Assunção fez um acordo para doar a renda da música para uma casa de apoio a dependentes químicos.
Bruno Magnata, do La Fúria, apresenta a música ‘Senta no álcool gel’
Reprodução/Instagram do artista
Uma tentativa de hit muito mais útil e cativante tem como base o alerta da rapper americana Cardi B sobre o coronavírus.
Ela gravou vários vídeos falando sobre o perigo da doença e sobre os cuidados para não espalhar o vírus, do jeito escrachado tão característico dela.
Um desses vídeos foi um fenômeno de audiência nas redes sociais. Ela fala que o problema é real, que não adianta chorar que a sua encomenda não chegou da China. O alerta sobre o coronavírus é feito de um jeito muito engraçado. É meio assustador, mas não dá pra parar de ouvir.
Cardi B recebe o prêmio de Melhor Clipe de Hip Hop por “Money” no VMA 2019
Matt Sayles/Invision/AP
Cardi B virou um alívio cômico mundial, com responsabilidade e bom humor, no meio da pandemia. Foram milhares de memes e remixes, inclusive um assinado pelo do francês DJ Snake, do também hit meme “Turn Down For What”.
O remix que une Cardi B e Snake, que já tinham trabalhado juntos em “Taki Taki”, está subindo nos principais rankings de streaming.
‘Lava uma mão… lava a outra’
Outro remix bem feito também se divide entre fazer dançar e pensar. Pedro Sampaio, DJ carioca de 22 anos, fez uma versão brega funk de “Lavar as mãos”, clássico na voz de Arnaldo Antunes.
Sampaio começou a ser mais falado no ano passado, com o sucesso “Sentadão”, parceria com os pernambucanos Felipe Original e JS O Mão de Ouro.