Como evitar torção ao levantar peso, como ocorreu com dominicana

Crismery Santana torceu o braço enquanto levantava 143 kg

Crismery Santana torceu o braço enquanto levantava 143 kg
REUTERS/Guadalupe Pardo – 31.07.2019

Durante a competição de levantamento de peso da terça-feira (30) do PAN LIMA 2019, a atleta dominicana Crismery Santana, 24, torceu o braço ao levantar 143 kg. Embora tenha sofrido a lesão, a esportista, representante da República Dominicana, levou a medalha de prata na disputa.

“Lesões traumáticas agudas como essa não são comuns nesses atletas. Geralmente, elas são acidentais e ocorrem por erros de movimentos ou por se desafiar e levantar mais peso do que aquele que já foi treinado e estava preparado para aguentar para quebrar um recorde. Isso acontece bastante em competições”, explica o médico do esporte Ricardo Nahas, coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital 9 de Julho, em São Paulo.

Leia também: O que levantadores de peso cheiram antes de realizarem as provas?

Segundo Nahas, lesões traumáticas agudas, como a torção, são frequentes em esportes de contato, como futebol. Já no levantamento de peso, os atletas geralmente têm machucados por repetição, como a tendinite.

O médico afirma que o respeito aos limites tanto do esporte, quanto do próprio corpo, são fundamentais para que o atleta não se lesione. Quando as limitações não são respeitadas, o atleta pode sofrer entorses, fraturas e até rompimento de tendões ou de músculos.

Saiba mais: O alto impacto da ginástica artística interfere no crescimento?

“O movimento de torção pode provocar uma fratura espiralada, acompanhando a força do entorse que aconteceu. Muitas vezes, essa torção com fratura acontece em disputas de queda de braço, quando o vencedor empurra o braço do oponente e quem está perdedo torce o úmero [osso do braço]”, conta o especialista.

Nahas afirma que exatamente para evitar esses tipos de lesões existem as divisões de categoria por peso e de faixa etária em esportes de levantamento de peso e de lutas.

Para evitar a ocorrência de lesões, o médico aconselha que, se no meio do movimento o atleta perceber que não vai conseguir, ele deve desistir da prova para não se machucar. Além disso, é importante respeitar os limites corporais, estar com o condicionamento físico adequado, não usar anabolizantes, ter o sono em dia, manter a dieta, saber como está a saúde e treinar.

Leia também: Entenda a doença incurável que afeta joelho do ginasta Arthur Nory

Caso a lesão aconteça, Nahas alega que é importante que o tratamento seja o mais rápido possível, de maneira que o tempo que aquele atleta ficará afastado seja minimizado. Assim que recebe a alta médica, o esportista deverá seguir um treinamento específico com fisioterpia e redução de pelo menos 30% do peso que ele costuima levantar, aumentando gradualmente.

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini