Com casos de Covid em alta e espera por vacinação, estudantes adiam matrícula no ensino superior, aponta pesquisa


Entre os entrevistados, 25% afirmaram que planejam começar a graduação no primeiro semestre, mas em novembro, o número era de 38%. Pandemia aumenta incerteza em relação à graduação
MD Duran/Unsplash
Caiu o percentual de pessoas interessadas em se matricular no ensino superior no primeiro semestre deste ano, de acordo com uma pesquisa feita pela Educa Insights em parceria com a Associação Brasileira de Mantenedores do Ensino Superior (Abmes), divulgada nesta terça-feira (9).
Entre os entrevistados, 25% afirmaram que planejam começar a graduação no primeiro semestre, mas em novembro, o número era de 38%.
A maior queda se refere às matrículas em cursos presenciais. Em novembro, a intenção de fazer uma graduação nesta modalidade era de 33%. Agora, é de 14%. No ensino a distância, o interesse caiu de 46% para 38%.
De acordo com o estudo, o adiamento da graduação está ligado à espera da vacinação em massa contra a Covid-19 e o retorno seguro às salas de aula.
“O mundo do trabalho não pode esperar. O mundo do trabalho vai precisar de profissionais para vencer o desafio da pandemia e essa decisão acaba prejudicando a formação de mão de obra qualificada no Brasil, podendo no futuro gerar um apagão na medida em que teremos menos profissionais formados em 4 ou 5 anos”, afirma Celso Niskier, diretor presidente da Abmes.
O levantamento “Observatório da Educação Superior: análise dos desafios para 2021 – 1ª edição” foi feito entre 25 e 30 de janeiro, via internet, com 1.024 pessoas de 17 a 50 anos.
VÍDEOS: veja mais notícias sobre Educação