Claudia Leitte pede desculpas por não se ‘indignar’ com situação do país no ‘Altas Horas’; Entenda


‘Precisava ter consciência do meu papel social e não tive’, disse. Cantora criticou número ‘alarmante’ de mortes, aglomerações e falta do uso de máscaras. Claudia Leitte participa do programa ‘Altas Horas’
Reprodução/TV Globo
Claudia Leitte pediu desculpas aos amigos e seguidores nesta segunda-feira (24) por sua postura no programa “Altas Horas”, que foi ao ar no último sábado (22). A participação da cantora foi considerada “isentona” pelo público e recebeu muitas críticas nas redes sociais durante o fim de semana. Entenda, abaixo, a participação e a repercussão:
Claudia era uma das convidadas do programa “Altas Horas”. Quando o apresentador Serginho Groisman perguntou o que a deixava indignada, ela respondeu de forma evasiva:
“A minha indignação? Eu tenho um coração pacificador. Eu me indigno, sou capaz de virar tudo pelo avesso, chutar as barracas, mas eu acho que todo mundo tem um lugar onde pode brilhar uma luz para desfazer o que está acontecendo. E se essa luz se acende, obviamente, não vai ter escuridão”, foi a resposta.
Ana Maria Braga e Deborah Secco também eram convidadas e responderam de maneira assertiva. As duas manifestaram indignação contra uma série de problemas políticos e sociais do país, como a falta de vacinas, o superfaturamento de compras públicas, o desaparecimento de três meninos no Rio de Janeiro e a violência no país.
“É tudo normalizado. É tanta coisa ruim acontecendo e a gente vai seguindo, eu fico realmente indignada”, terminou Deborah.
Diante das respostas das colegas, a fala de Claudia chamou ainda mais atenção. Nas redes sociais, o público se indignou com a falta de indignação da cantora.
Diante das críticas, Claudia divulgou um vídeo em seu Instagram para dizer que se arrepende de não ter usado seu “papel social” como artista para falar dos problemas do país e listou as situações que a deixam indignada.
Initial plugin text
Leia o pedido de desculpas feito pela cantora:
“Mais do que um desabafo, esse era um momento em que eu precisava ter muita consciência de meu papel social e eu não tive. Eu não sei porque cargas d’água eu dei uma resposta evasiva no momento e desde que eu saí do programa eu tô reflexiva.
Eu acho que o artista tem um papel que precisa ficar muito claro. Eu subo num palco para cantar, eu sirvo o outro, movimento pessoas. Eu faço entretenimento, mas faço com uma missão, com um propósito. E quando eu saio do palco, continuo sendo cidadã. Mas se tenho um microfone ligado, eu continuo representando e servindo aquelas pessoas.
Eu precisava falar de minhas indignações para levantar questões, discussões saudáveis, conversas a respeito daquilo, mudanças de atitude, de comportamento dentro da sociedade.”
Eu precisava ter falado que me indigna o fato que as pessoas não usam máscaras. Continuam aglomerando, promovendo aglomerações, incitando aglomerações. Isso mata, tá comprovado. O número alarmante de mortos é desesperador.
O noticiário sangra todos os dias. O número de pessoas passando fome é revoltante, é triste, é desesperador. Sufoca. E eu não falei sobre isso.”
Não falei que eu me indigno com o fato de que não tem vacina para todo mundo no meu país. São coisas que fazem parte do meu dia a dia.
O meu setor do entretenimento, eu estou junto com meus músicos, a gente sempre pensa quando essa coisa vai passar porque precisamos todos trabalhar, a gente não sabe quando vai voltar e isso me indigna e eu não podia ter deixado essa oportunidade passar.
Vim pedir desculpas porque não usei da ferramenta que eu tenho para fazer a diferença. Eu quero me redimir disso, não quero fazer mais isso.”