Cinco dicas para evitar a procrastinação


Deixar para depois o que deveria ser feito agora pode atrapalhar muito a sua vida. A procrastinação é algo muito comum e que pode causar enormes transtornos ao dia a dia.
Christian Erfurt/Unplash
Você até sabe que precisa começar aquele trabalho chato e difícil o quanto antes mas, quando vê, encontra outra tarefa “importantíssima” para fazer primeiro – que pode ser arrumar uma gaveta bagunçada ou checar as mensagens que chegaram no seu telefone. A procrastinação (ato de adiar certas tarefas para executar outras bem menos relevantes) é algo muito comum e que pode causar enormes transtornos ao dia a dia.
Você até sabe que precisa começar aquele trabalho chato e difícil o quanto antes mas, quando vê, encontra outra tarefa “importantíssima” para fazer primeiro – que pode ser arrumar uma gaveta bagunçada ou checar as mensagens que chegaram no seu telefone. A procrastinação (ato de adiar certas tarefas para executar outras bem menos relevantes) é algo muito comum e que pode causar enormes transtornos ao dia a dia.
Ainda que esse adiamento seja comum e até compreensível, é bom ficar atento para que ele não se torne um hábito e tome uma proporção que prejudique efetivamente sua vida. “É importante você observar o quanto você procrastina, se a procrastinação é direcionada a um contexto específico e com que intensidade e frequência isso acontece. Se você começa a ter sentimentos de culpa ou vergonha, por exemplo, é bom dar olhada. A procrastinação pode ser sinal de um problema de saúde como estresse, ansiedade ou depressão”, alerta a psicóloga comportamental Denise Pará Diniz, coordenadora do Setor de Gerenciamento de Estresse e Qualidade de Vida da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Então, antes que você procrastine a decisão de parar de procrastinar, veja algumas dicas que podem ajudar a ganhar produtividade nas suas tarefas.
1. Liste suas demandas e prioridades
Organizar as tarefas em ordem de prioridade ajuda a não cair na tentação de fazer antes o que é mais fácil. Além disso, é uma forma de aumentar o foco no que realmente é importante. “Quando você define suas prioridades, fica mais fácil ver que lavar a louça é uma tarefa que precisa ser cumprida, mas que vai ficar para depois porque não é o mais importante no momento. Isso ajuda a não nos deixar tão perdidos”, diz o psicólogo Guilherme Raggi.
2. Divida o trabalho em tarefas menores e faça pausas
“O mais comum entre as pessoas que procrastinam é pensar demais antes de começar. Se você focar e organizar por etapas, você não vai ficar pensando, você vai começar”, diz a professora da Unifesp Denise Pará Diniz. Além de dar mais clareza, a sensação de vencer as etapas, mesmo que pequenas, ajuda a seguir trabalhando. E não subestime a necessidade de fazer intervalos entre uma tarefa e outra. Eles são importantes para sua mente descansar e você se sentir recompensado. “A gente tem a ideia de que precisa trabalhar muitas horas seguidas, mas isso não é produtivo”, afirma Raggi. Algumas pessoas conseguem produzir bem durante uma hora, outras só rendem por 30 minutos. É importante que cada um teste o que funciona para si: você pode começar com períodos menores de produção e ir aumentando aos poucos.
3. Crie um ambiente de trabalho favorável
A gente vive rodeado de tentações e demandas. Por isso, é fundamental que o ambiente de trabalho seja o mais imune possível a distrações. “O entretenimento sempre vai parecer mais interessante do que a obrigação. Você precisa bloquear alguns estímulos externos”, recomenda Denise. Mas não pense que você vai conseguir ficar muito tempo em isolamento – e está tudo bem, é assim mesmo. As pausas vão servir para você dar aquela olhada nas redes sociais ou investir em qualquer outra distração e voltar com mais foco para a sua tarefa.
4. Experimente o método Pomodoro
A técnica criada no final dos anos 1980 pelo italiano Francesco Cirillo aposta justamente em intercalar períodos de produtividade e pequenos intervalos. O nome (pomodoro significa tomate, em italiano) é inspirado nos cronômetros em formato de tomate bastante usados na gastronomia para controlar o tempo de preparo dos alimentos. Basicamente, o método funciona assim: você trabalha durante 25 minutos – mas é preciso que esse tempo seja realmente focado na atividade, sem interrupções. Se alguma distração importante aparecer (como uma ligação que você lembrou que precisa fazer ou alguém que sinalizou que quer conversar com você), anote a demanda em um papel e siga em frente. Depois, faça uma pausa de 5 minutos para se dedicar a algo prazeroso e relaxante, que não pode ter relação com o trabalho, e volte para a sua atividade. Depois de quatro ciclos de produtividade e pausa (ou quatro “pomodoros”), você ganha o direito de um intervalo maior, que pode ser de 20 minutos ou 30 minutos. É sua recompensa.
5. Aposte na meditação ou no mindfulness
Essas práticas não ajudam de forma direta no combate à procrastinação, mas são importantes para reduzir a ansiedade, uma inimiga da produtividade. Quando você está ansioso, precisa canalizar sua energia de alguma forma. Então, qualquer tarefa fácil e simples que aparecer vai se tornar prioridade. A meditação e o mindfulness evitam esse tipo de situação, pois você consegue ficar mais focado no que realmente importa. Outra dica importante: evite o consumo exagerado de café. A bebida também provoca certo grau de ansiedade e pode atrapalhar a sua produtividade.