Chitãozinho e Xororó contam bastidores de single gravado à distância e adiam pela 2ª vez celebração de 50 anos de carreira


Dupla falou sobre novas formas de trabalho durante a pandemia, lamentou o novo adiamento dos planos para festejar as cinco décadas de música e ainda cogitou idealizar um projeto só com canções ‘Lado B’. Chitãozinho & Xororó
Reprodução / Vídeo
A pandemia da Covid-19 trouxe emoções opostas a Chitãozinho e Xororó. Ao mesmo tempo que o impedimento de realizar grandes turnês e projetos especiais forçou, pelo 2º ano seguido, o adiamento das comemorações de 50 anos de carreira, completados em 2020, ele apresentou à dupla outras possibilidades de criação. Isolados um do outro, os irmãos experimentaram novas formas de trabalho e lançaram, recentemente, a música “Pássaros”, gravada totalmente à distância.
Durante uma entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (12), a dupla, reconhecida dentro do gênero como uma das mais importantes da música sertaneja, contou detalhes do novo single, que tem Xororó como um dos compositores, lamentou ter de adiar de novo os planos para festejar as cinco décadas de música e admitiu a possibilidade de gravar um projeto “Lado B”, só com canções “esquecidas” da carreira.
A nova música, lançada em todas as plataformas digitais há duas semanas, surgiu de uma ideia de Xororó ao observar um voo de um gavião em sua fazenda há três anos. A letra, que fala sobre amor e liberdade, ficou engavetada até o cantor, por conta da pandemia e das restrições para conseguir manter o cronograma de trabalho da dupla, decidir que seria o momento de colocar melodia e apresentá-la ao público. No entanto, isso foi feito, pela primeira vez, sem a participação do irmão.
Chitãozinho & Xororó no documentário ‘O fenômeno sertanejo’
Divulgação / Music Box Brasil
“Eu estou muito isolado na pandemia. Não faço nada mesmo, faz um ano que não saio. Nem para a fazenda eu fui. Por isso, eu aproveitei que gente está parado, achei que era o momento de lançar algumas músicas inéditas e fui para um estúdio de um amigo, que eu sei que também toma todas as medidas de restrição, para gravar a música. Como a gente gostou do resultado, mandei para o Chitão e ele colocou voz, mas pela primeira vez ele não me viu gravar e eu não vi ele gravar”, disse Xororó.
Chitãozinho tinha ouvido pela primeira vez a música no Instagram do irmão, em uma brincadeira de Karaokê, onde ele pede para os fãs e seguidores gravarem a segunda voz em músicas da dupla. “Eu também faço isso no meu Instagram. Eu que comecei, aliás, eu posto vídeos de pessoas que fazem a primeira voz para mim e o Xororó posta com a segunda voz para ele. Quando eu vi, eu achei a canção maravilhosa e já quis gravar. É uma das mais belas canções que gravamos”, lembrou o cantor.
Planos adiados de novo
Os músicos também lamentaram as mudanças de planos das celebrações de 50 anos de carreira, que haviam passado de 2020 para 2021, mas terão de esperar mais um ano novamente. “É muito ruim a gente tem que deixar isso de lado porque a gente tinha muita coisa para fazer. Infelizmente a pandemia ainda está uma situação muito grave, mas quando ela acabar temos muita coisa para colocar em prática”, contou Xororó.
A dupla de Astorga (PR) e que mora em Campinas (SP) há 40 anos, revelou mais um pouco dos planos para as festividades, como por exemplo reviver o clássico “feat” de 1993, em “Words”, gravado ao lado de Bee Gees. “Infelizmente dois dos integrantes já faleceram, mas a gente tinha o plano de fazer esse dueto novamente com o Barry Gibb e iríamos convidá-lo para uma nova gravação”, revelou Chitãozinho.
Em setembro do ano passado, quando confirmaram o primeiro adiamento das comemorações, Chitãozinho e Xororó, que foram os responsáveis por fazer o sertanejo tocar pela primeira vez em grandes meios de comunicação, como o rádio e a televisão, já haviam detalhado parte das festividades, como um show especial com convidados em Nova York e o lançamento de uma minissérie.
Durante a entrevista, transmitida pelo canal de música no YouTube “Rezenha Musical”, eles ainda admitiram pela primeira vez ter no horizonte uma ideia de gravar um projeto só com músicas conhecidas como “Lado B”, ou seja, que não foram trabalhadas durante a carreira. Segundo Chitãozinho, a prioridade da dupla sempre foram novas canções, mas ao ouvir novamente algumas gravações, ele ficou com vontade de revisitar a obra.
“A gente pode sim fazer um show, uma live ou até mesmo um projeto só com músicas Lado B sim. É uma ideia muito interessante sim. A gente gosta muito de ver outras pessoas cantando essas músicas. Recentemente o Luan Santana gravou ‘contratempos’, ficou lindo. O João Neto e Frederico também sempre cantam”, completou Xororó.
Show de Chitãozinho & Xororó no Rodeio de Jaguariúna
Júlio César Costa/G1
Veja mais notícias da região no G1 Campinas