China limitará videogames on-line a três horas semanais para menores


Norma define que pessoas com menos de 18 anos joguem somente às sextas, sábados e domingos, no total de três horas. Tencent, uma das maiores empresas de games da China, começou a testar recurso de reconhecimento facial para login em jogos em abril
Fredrick Tendong/Unsplash
A China informou nesta segunda-feira (30) que limitará o acesso de menores de 18 anos a videogames on-line a 3 horas por semana para combater a dependência entre os jovens.
O órgão regulador do setor audiovisual, de publicação e de radiodifusão anunciou que os menores de idade anos não poderão jogar pela internet durante a maior parte dos dias da semana. Apenas às sextas, sábados e domingos, no total de três horas.
LEIA MAIS: Empresa chinesa vai usar reconhecimento facial para barrar menores jogando até tarde
As normas já proibiam os menores de jogar on-line entre 22h e as 8h (horário local). Agora, será permitido jogar apenas “entre 8 e 9 da noite”, especifica o texto.
Durante as férias escolares, no entanto, poderão jogar uma hora todos os dias. Um documento de identidade também será exigido para que possam se conectar.
Em princípio, a medida se aplica apenas aos videogames on-line, e não àqueles que não precisam de acesso à internet.
Em agosto, um influente jornal do governo afirmou que os videogames se transformaram em um “ópio mental”. O artigo também citava a gigante do setor Tencent e seu popular jogo “Honor of Kings”, um sucesso na China com mais de 100 milhões de usuários diários ativos.
Diante dessa pressão, a Tencent, que já impunha limitações no tempo de jogo por meio do reconhecimento facial para que menores de 18 anos não jogassem à noite, limitou o acesso aos games a uma hora por dia.
SAIBA MAIS: Reconhecimento facial deve ser banido, diz regulador de privacidade da União Europeia
Por que a Cufa interrompeu o uso de reconhecimento facial após polêmica
Na China, um país de 1,4 bilhão de habitantes, os videogames geraram cerca de US$ 20 bilhões em volume de negócios apenas no primeiro semestre de 2021.
No YouTube, G1 explica o que é NFT: