Cecília Dassi faz homenagem a Paulo José com cena de ‘Por Amor’: ‘Que honra a minha’


Papel do alcóolatra Orestes foi um dos grandes destaques da carreira do ator. Atriz tinha 8 anos quando interpretou a Sandrinha na novela de Manoel Carlos. Atriz Cecilia Dassi homenageia Paulo José com quem atuou em Por Amor
Cecília Dassi homenageou Paulo José com uma cena de “Por Amor”. Papel do alcóolatra Orestes foi um dos grandes destaques da carreira do ator, que morreu aos 84 anos. Veja VÍDEO acima.
O ator de 84 anos morreu na quarta-feira (11) em decorrência de uma pneumonia, no Rio. Ele é considerado um dos maiores ícones do cinema, teatro e televisão brasileira.
A ex-atriz tinha 8 anos quando interpretou a Sandrinha na novela de Manoel Carlos.
REPERCUSSÃO: Ary Fontoura, Marcos Caruso e mais artistas lamentaram a morte do ator
FOTOS: Relembre carreira na televisão
VÍDEOS: Homenagens e papéis marcantes
“Paulo José partiu hoje. Um homem incrível. O sucesso da Sandrinha e do Orestes não teria sido possível se ele não tivesse me conquistado e criado um ambiente tão agradável nas gravações. Vivia inventando brincadeiras e gestos que tornavam crível e orgânica a intimidade de pai e filha”, escreveu.
A ex-atriz lembrou do dia em que Paulo estava se preparando para uma cena em que aparecia machucado. Ela começou a chorar ao não entender o que estava acontecendo.
“A equipe precisou me mostrar que era só maquiagem para me acalmar”, escreveu Cecília, que segue carreira na psicologia.
“O afeto que transbordava na tela não era encenação, era real. Que honra a minha”.
Veja destaques da carreira do ator e diretor Paulo José
‘Pai’ e professor
Paulo José, Leandra Leal, Eliane Giardini na novela ‘Explode Coração’
Globo/Divulgação
Leandra Leal também foi filha de Paulo José na novela “Explode Coração” (1995). A atriz falou sobre o quanto aprendeu com o ator em um post no Instagram.
“Mestre dos mestres. Na família que criamos nessa profissão, muitos são os pais, muitas são as filhas. Paulo foi o meu primeiro pai na ficção. Eu me lembro com riqueza dos seus ensinamentos”.
“No meu primeiro dia de estúdio, ele me disse que era para imaginar uma lanterna dentro do meu peito e jogar com essa luz em cena. Na minha primeira noturna, ele me explicou pacientemente por que deveríamos repetir da mesma forma uma cena diversas vezes, desenhou dentro de um carro o que era eixo, e discorreu sobre continuidade de emoção”.
“Eu sou muito grata e tenho muita felicidade de ter sido sua filha em alguma vida na arte. Viva Paulo José! Meus sentimentos a família incrível”.