Preço da gasolina nos postos tem leve queda após 5 semanas de avanço, diz ANP


Já o valor médio do diesel para o consumidor subiu novamente, registrando o sétimo avanço semanal consecutivo. Bomba de combustível abastece carro em posto de São Paulo. gasolina, preço da gasolina, frentista, álcool, diesel, combustíveis, reajuste, aumento. -HN-
Marcelo Brandt/G1
O preço médio da gasolina nos postos terminou a semana em leve queda, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (18) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Foi o primeiro recuo após 5 altas consecutivas. Enquanto isso, o preço do diesel teve sua sétima alta seguida.
De acordo com o levantamento, o valor médio por litro da gasolina nas bombas foi de R$ 4,382 para R$ 4,379 – uma queda de 0,07%. Já o diesel teve um aumento de 0,08%, de R$ 3,70 para R$ 3,703.
Os valores são uma média calculada pela ANP com dados coletados em diferentes cidades pelo país. Por isso, os preços podem variar de acordo com a região.
No acumulado de 2019, o preço da gasolina para o consumidor final tem alta de 0,8%. O avanço é bem menor que o do diesel, que até agora já subiu 7,3% para os motoristas.
A ANP também acompanha o preço do etanol, que nesta semana teve alta de 0,38%, para R$ 2,903. O aumento foi de aproximadamente R$ 0,01. No ano, há alta de 2,83%.
Já o preço do botijão de gás de cozinha caiu 0,03%, ou R$ 0,02, para a média de R$ 68,78.

Harley-Davidson retoma produção de sua primeira moto elétrica


Empresa havia paralisado a fabricação após a descoberta de uma falha nas verificações finais de qualidade. Harley-Davidson Livewire é primeiro elétrica da marca
Harley-Davidson/Divulgação
Depois de paralisar a produção e as entregas da LiveWire, a primeira moto da empresa, a Harley-Davidson informou nesta sexta-feira (18) que irá retomar a fabricação do modelo.
Na ocasião, a fabricante de motocicletas informou ter encontrado uma “condição fora dos padrões” na LiveWire, que começou a ser enviada aos revendedores americanos no final do mês passado, mas o problema específico não foi revelado.
O modelo custa US$ 29.799, valor equivalente a R$ 122 mil.
Harley-Davidson sem ronco: veja como anda a primeira moto elétrica da história da marca
Agora, a Harley disse que concluiu “uma análise rigorosa”, e que as entregas da LiveWire serão retomadas A empresa ainda afirma que “os clientes podem continuar andando com a moto e podem carregá-la através de todos os métodos disponíveis para isso”;
A fabricante ainda explica, dizendo que a interrupção na produção “permitiu confirmar que a condição não padrão identificada em uma motocicleta era uma ocorrência pontual”.
Ainda não há uma data exata para a chegada da LiveWire ao Brasil, mas a expectativa é que o modelo desembarque no país em 2020.
VEJA COMO ANDA A PRIMEIRA ELÉTRICA DA HARLEY
Harley-Davidson LiveWire elétrica: G1 avalia o modelo