Câmbio automatizado vai sumindo do mercado; vendas caem 62,3% em 5 anos


Transmissão mais simples, criada para quem não pode pagar por um câmbio automático convencional, caminha para o fim. Automatizados de dupla embreagem sobrevivem. No Fiat Mobi, o câmbio automatizado é operado por botões.
Divulgação/Fiat
O mercado brasileiro tem absorvido cada vez mais os carros automáticos, cujas vendas triplicaram em 10 anos. Dentro desse universo, porém, os automatizados têm perdido terreno para a transmissão automática “clássica” : em 5 anos, os emplacamentos desse tipo de câmbio caíram 62,3%, de acordo com a consultoria Jato.
É bom lembrar que existem dois tipos de câmbios automatizados: os de embreagem simples e os de dupla embreagem (apesar do nome, ambos dispensam o pedal da embreagem).
Os simples surgiram como alternativa para quem não pode pagar por um câmbio automático convencional. Por isso, seu funcionamento tem alguns poréns, como trocas mais lentas e trancos, causadas pelo “buraco” entre o acionamento da embreagem pelo sistema e a mudança de marcha. Isso afeta também o desempenho do veículo.
Foi o que observou gerente de T.I. Lucas Ferreira, 32 anos, de Vinhedo (SP), que já teve carros com e sem pedal da embreagem. De um Ford Ka manual passou para um Fiat 500 automatizado e, agora, tem outro Fiat 500, mas automático.
Câmbio automático ajuda a tornar viagens longas mais confortáveis para Lucas Ferreira, como a visita a um hotel fazenda de Águas de São Pedro (SP).
Lucas Ferreira/Arquivo pessoal
No caso do automatizado, ele elogia o custo de aquisição, mas reclama da lentidão do sistema e das indecisões do câmbio nas trocas. Para Ferreira, esse tipo de câmbio “não consegue unir as partes boas do manual [domínio do carro] e do automático [conforto]”.
A troca do 500 Dualogic pelo automático foi motivada pela busca de mais conforto. Porém, ele também reclama da lentidão dessa transmissão.
“O carro fica mais bobo”, apontou Lucas.
Na automatizada de dupla embreagem isso não acontece: assim como na transmissão automática “clássica”, as trocas são rápidas e suaves, graças a um sistema mais sofisticado.
Veja mais sobre câmbio automatizado
E sobre câmbio automático
De qualquer forma, os automatizados estão perdendo espaço desde 2014, quando tiveram seu melhor ano de vendas – 177.719 unidades. Em 2018 foram 67.066, ou 62,3% a menos, segundo a Jato.
Nos últimos anos, alguns modelos mais “populares” trocaram este tipo de transmissão pela automática, caso das linhas Volkswagen Gol e Voyage. Outros abandonaram a opção de vez, como os Renault Sandero e Logan e o Fiat Uno.
Atualmente, apenas 2 marcas oferecem modelos com embreagem simples: Fiat, com o GSR, e Volkswagen, com o I-Motion. São 5 modelos ao todo: Argo, Cronos, Mobi, Fox e Up!.Aqui, diversos modelos oferecem opções: Ford Focus Powershift, Chery Tiggo 5X, Volkswagen Golf GTI e Tiguan R-Line, entre outros.