Bruxas povoam a música brasileira em discos de artistas como Rita Lee, Raul Seixas e Oswaldo Montenegro


Festejadas em 31 de outubro, essas mulheres cheias de magia também são cantadas nos repertórios dos grupos Asa de Águia, Brylho e Molejo. Rita Lee é a intérprete original de ‘A bruxa amarela’, música de Raul Seixas e Paulo Coelho
Divulgação
♪ MEMÓRIA – “É duas horas da manhã, eu abro a minha janela / E vejo a bruxa cruzando a grande lua amarela”, descreveu Rita Lee em versos de A bruxa amarela (1976), música pouco ouvida da parceria de Raul Seixas (1945 – 1989) com o compositor Paulo Coelho, letrista que se tornaria escritor de livros místicos. A música integra o álbum Entradas e bandeiras, lançado por Rita com o Tutti Frutti em 1976.
Naquele ano, o mesmo Raul alardeou que viu bruxas pegando fogo em verso do sucesso Eu nasci há dez mil anos atrás (1976), outra parceria com Coelho.
Celebradas em 31 de outubro, as bruxas também estão presentes na música brasileira. Maga do rock nativo, Rita Lee volta e meia se caracteriza como bruxa.
Contudo, o campeão de músicas sobre essas mulheres dotadas de magia é Oswaldo Montenegro. O menestrel compôs As bruxas e O país das bruxas para a trilha sonora do musical Aldeia dos ventos (1987) e apresentou O rap da bruxa em outro musical, Vale encantado, cuja trilha sonora foi lançada em disco editado em 1997.
Oswaldo Montenegro é autor de várias músicas sobre bruxas
Marcelo Volcato / Divulgação
Embora com menor frequência, outros compositores versaram sobre as bruxas. Kleiton Ramil compôs A bruxa, música apresentada há dez anos pela dupla Kleiton & Kledir no álbum Par ou ímpar (2011).
Ao escrever letra para música de João Donato, Gilberto Gil personificou A bruxa de mentira (1975) em tom lúdico. Bem antes, em 1964, Demetrius (1942 – 2019) cantou A bruxa, dando voz à música que compôs em parceria com Baby Santiago.
Em 1995, o grupo de pagode Molejo entrou na roda com o samba A bruxa está solta, composição de Pedrinho da Flor. Música de título quase idêntico, A bruxa tá solta (Claudio Zoli, Paulo Zdanowski e Robério Rafael) ganhou o toque do grupo Brylho em gravação feita para single editado em 1984.
No universo da axé music, coube ao grupo Asa de Águia cantar A bruxa Xarará (Durval Lelys e Levi Pereira) em 1990. Em 1979, Elba Ramalho – então em início de carreira – fez sobressair no primeiro álbum a composição Kukukaya (Jogo da asa da bruxa), tema da lavra da paraibana Cátia de França.
Em 2016, André Abujamra trouxe a bruxa para o universo masculino com ao gravar a composição autoral O homem bruxa, música-título do álbum lançado pelo artista naquele ano de 2016. Até Gonzaguinha (1945 – 1991) versou sobre bruxa na letra de Contos de fadas (Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior, 1975), música pouco conhecida do álbum Plano de voo (1975).
Enfim, as bruxas sempre rondaram o universo da música brasileira. E quem resiste à magia de uma bruxa quando ela assume a face de Rita Lee, poderosa ovelha negra da música brasileira?