Britney Spears: justiça decide que pai da cantora permanecerá como seu tutor


Tribunal de Los Angeles negou pedido da cantora para retirar seu pai de um acordo de tutela que dá a ele o controle de questões pessoais e comerciais. Decisão não levou em consideração o depoimento da artista na última semana. A cantora Britney Spears, em imagem de 2019
Jordan Strauss/Invision/AP, File
Um tribunal de Los Angeles negou o pedido de Britney Spears para retirar seu pai de um acordo de tutela que dá a ele o controle de questões pessoais e comerciais, informou a imprensa americana nesta quinta-feira (1).
A decisão foi anunciada uma semana depois do apelo da cantora, 39 anos, pelo fim da tutela “abusiva, durante uma audiência judicial virtual em que ela afirmou que foi medicada para controlar seu comportamento, proibida de tomar decisões sobre amizades ou finanças e impedida de remover um implante anticoncepcional (DIU), apesar do desejo de ter mais filhos.
A decisão do Tribunal Superior de Los Angeles anunciada na quarta-feira está vinculada a um pedido apresentado em setembro pelo advogado de Spears para adicionar a empresa de gestão de fortunas Bessemer Trust à tutela e remover seu pai, Jamie Spears, informou o canal CNN.
O pedido do advogado de suspender James P. Spears como tutor e conceder o controle exclusivo do patrimônio da cantora a ‘Bessemer Trust Company of California’ foi “rejeitado sem prejuízo”, decidiu a juíza Brenda Penny, de acordo com uma sentença consultada pela CNN.
A decisão não levou em consideração o depoimento de Britney Spears da semana passada.
O pai de Spears pediu ao tribunal para investigar as alegações da estrela da música de que ela foi medicada com lítio e obrigada a se apresentar contra sua vontade, informou a CNN.
A revelação de que a tutela a impede de remover o DIU gerou indignação em fãs e grupos que defendem os direitos reprodutivos.
O discurso emocional de Spears por vídeo foi uma rara visão de sua vida pessoal depois que seu advogado, Samuel Ingham, informou em abril que Spears queria falar diretamente ao tribunal.
“Eu só quero minha vida de volta. Já se passaram 13 anos e é suficiente”, disse Spears em um discurso de 20 minutos.
As finanças e assuntos pessoais da cantora são administrados em grande parte por Jamie Spears desde sua crise nervosa pública há mais de uma década, o que levou seus fãs a criar nos últimos anos a campanha online #FreeBritney (Libertem Britney).
Os fãs permanecem atentos às contas da artista nas redes sociais em busca de sinais sobre seu estado e de informações sobre a tutela.
Leia também: Britney Spears pede desculpas a fãs por ‘fingir que estava bem’: ‘Fiz isso por causa do meu orgulho’
Documentos judiciais confidenciais publicados na semana passada pelo jornal New York Times afirmam que Spears disse a um investigador do tribunal que a tutela se tornou “uma ferramenta opressiva e controladora contra ela” desde 2016.
A controvérsia sobre o caso legal de Britney Spears ganhou um novo capítulo com o lançamento em fevereiro do documentário “Framing Britney Spears”, que relata o processo de seu colapso emocional e da nomeação de seu pai como tutor.
Após o divórcio de Kevin Federline em 2006 e de perder a custódia dos filhos no ano seguinte, paparazzis a perseguiram em vários momentos.
Sob a tutela do pai, Britney Spears lançou três álbuns, participou de programas de televisão e aceitou uma residência em Las Vegas.
Mas em janeiro de 2019 ela anunciou a suspensão dos shows por tempo indeterminado.
Ouça depoimento de Britney Spears, que luta pelo fim de sua tutela, à Justiça americana