Brasil multa Facebook em R$ 6,6 mi por compartilhamento de dados

<div class="media_box full-dimensions660x360">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/facebook-30122019100513982?dimensions=660×360&amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;resize=660×360&amp;amp;crop=700×382+0+56&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;&amp;amp;resize=660×360&amp;amp;crop=700×382+0+56" title="Facebook recebe multa de R$ 6,6 milhões por suposto compartilhamento indevido de dados" alt="Facebook recebe multa de R$ 6,6 milhões por suposto compartilhamento indevido de dados" />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">Facebook recebe multa de R$ 6,6 milhões por suposto compartilhamento indevido de dados</span>
<span class="credit_box ">Dado Ruvic/Reuters</span>
</div>
</div>

<p>
O Ministério da Justiça e Segurança Pública brasileiro aplicou multa de 6,6 milhões de reais ao <a href="https://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/facebook" target="_blank"><strong>Facebook </strong></a>por suposto compartilhamento indevido de dados de usuários, informou à Reuters a assessoria de imprensa da pasta nesta segunda-feira (30).</p>

<div class="related_content">
<h6>Veja também</h6>
<ul>
<li><a href="http://noticias.r7.com/brasil/brasil-pede-explicacao-do-facebook-sobre-vazamento-de-dados-18042018">Brasil pede explicação do Facebook sobre vazamento de dados</a></li>
<li><a href="http://noticias.r7.com/internacional/facebook-dados-vazados-podem-estar-armazenados-na-russia-08042018">Facebook: dados vazados podem estar armazenados na Rússia</a></li>
<li><a href="http://noticias.r7.com/tecnologia-e-ciencia/facebook-admite-rastrear-usuarios-mesmo-sem-autorizacao-18122019">Facebook admite rastrear usuários mesmo sem autorização</a></li>
</ul>
</div>

<p>
De acordo com o ministério, o caso começou a ser investigado após notícia veiculada pela mídia em abril de 2018, informando que usuários do Facebook, no país, poderiam ter sofrido com o uso indevido de dados pela consultoria de marketing político Cambridge Analytica.</p>
<p>
A empresa teria usado dados coletados por um aplicativo criado para usuários do Facebook chamado "This is Your Digital Life", em 2014. </p>
<p>
Quem aceitou os termos de uso do "This is Your Digital Life" permitiu o acesso aos dados pessoais e também de amigos e amigos de amigos do perfil. Foram vítimas dessa brecha de segurança 83 milhões de pessoas em vários países, sendo mais de 440 mil brasileiros.</p>
<p>
Após a decisão do processo, o Facebook será intimado acerca da possibilidade de interposição de recurso, no prazo de 10 dias, bem como do recolhimento do valor da multa, em até 30 dias. </p>
<p>
O <strong>R7</strong> entrou em contato com o Facebook para comentar o caso, mas não obteve respostas.</p>

<div class="media_box embed intertitle_box">

<div class="content">Entenda o caso</div>
<span class="author"></span>
</div>

<p>
Cerca de 270 mil perfis na rede social usaram, em 2014, o aplicativo "This is Your Digital Life" criado por desenvolvedores que não tinham ligação com a empresa de Mark Zuckerberg. A partir disso, os dados de 83 milhões de pessoas com conta na plataforma foram coletados sem autorização.</p>
<p>
Nos anos seguintes, esse banco de dados teria sido usado de maneira irregular para direcionar conteúdo e manipular a opinião pública em eleições e plebiscitos pelo mundo. </p>
<p>
Entre os milhões de pessoas que tiveram as informações de seus perfis incluídas no banco de dados da consultoria, há também brasileiros. O Facebook publicou, no ano do escândalo da Cambridge Analytica um documento detalhando que 443 mil brasileiros foram afetados.</p>
<p>
Os usuários dos EUA as principais vítimas. Os norte-americanos corresponderam a 81,6% do total, com 70,6 milhões de usuários afetados. Em seguida, estava a Filipinas (1,4%) e a Indonésia (1,3%). O Reino Unido ficou em quarto lugar na lista com 1,08 milhão (1,2%). O Brasil na oitava posição com 0,5% do total.</p>