Brasil é o 2º pior de ranking mundial em nº de computadores por estudante e 52º colocado em conectividade das escolas, aponta OCDE


País ficou à frente só do Marrocos, e abaixo de países como Albânia e Kosovo, em quantidade de equipamentos por aluno na escola, segundo relatório “Políticas Eficazes, Escolas de Sucesso”, feito com base em dados do Pisa 2018 . O Brasil é o segundo país com a menor quantidade de computadores por estudante na escola em um ranking de 79 sistemas de ensino .
Divulgação
O Brasil é o segundo país com a menor quantidade de computadores por estudante na escola em um ranking de 79 países e territórios feito pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e divulgado nesta terça-feira (29).
De acordo com o levantamento, na classificação dos países pelo percentual de computadores nas escolas conectadas à internet, o Brasil aparece na 52ª colocação.
Em ambos os rankings, o Brasil está abaixo da média entre todos os locais analisados: 23ª posição em número de computadores por estudante na escola e 41º em percentual de equipamentos conectados à internet.
Os dados são do estudo “Políticas Eficazes, Escolas de Sucesso”, relatório feito a partir de dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês) 2018.
34% dos alunos de 15 anos no Brasil repetiram de série ao menos uma vez na escola, diz pesquisa da OCDE
Em número de computadores por estudante na escola, o Brasil fica à frente apenas do Marrocos. Além desses dois países, aparecem nas cinco últimas posições Albânia (75º colocado), Montenegro (76º) e Kosovo (77º). Todos esses cinco países têm 0,2 computador por estudante ou menos (0,1 é a pontuação de Brasil e Marrocos, por exemplo), segundo dados do Pisa.
Mesma aula que acontece na escola é transmitida pela internet para os alunos que estão em casa
Anna Alyne Cunha/Inter TV Cabugi
Já os primeiros cinco colocados desse ranking são Luxemburgo, único da lista com mais de 1,5 computador por aluno, Reino Unido, Estados Unidos, Macau (China) e Nova Zelândia.
Apesar de fazer referência a 79 países e economias como integrantes desse ranking, alguns sistemas de ensino não são países independentes. Por exemplo: Macau, Hong Kong e quatro províncias agrupadas da China continental (Pequim, Xangai, Jiangsu e Zhejiang) recebem três notas diferentes. Além disso, a média dos países da OCDE também aparece no ranking.
Internet nas escolas
Quanto à conectividade das escolas, medida pelo percentual de equipamentos na escola conectados à internet, o Brasil é o 52º colocado no ranking de 79 sistemas de ensino. Ficando à frente, nessa classificação, de países como Israel (58º colocado), e vizinhos da América do Sul, como Colômbia (71º) e Argentina (72º).
Os cinco primeiros colocados desse ranking são, pela ordem, Dinamarca, Suécia, Finlândia, Estados Unidos e Estados Unidos.
Playlist: Volta às aulas na pandemia