Bolsas dos EUA têm fortes quedas com avanço da guerra comercial


Nasdaq caiu 3,41% nesta segunda-feira e registrou a pior queda percentual em 2019. Os mercados de ações dos Estados Unidos mergulharam nesta segunda-feira (13), após a China desafiar Washington e anunciar tarifas retaliatórias, no mais recente episódio da cada vez mais beligerante disputa comercial entre os dois países, o que fez investidores fugirem da renda variável em busca de ativos menos arriscados.
Os três principais índices acionários dos EUA perderam terreno em meio a vendas generalizadas, com o Nasdaq sofrendo sua pior queda percentual neste ano. O S&P 500 e o Dow Jones tiveram seus maiores recuos percentuais desde 3 de janeiro.
O índice Dow Jones caiu 2,38%, para 25.324,99 pontos. O S&P 500 perdeu 2,41%, para 2.811,87 pontos. E o Nasdaq Composto recuou 3,41%, para 7.647,02 pontos.
Placa de Wall Street perto da bolsa de Nova York
REUTERS/Shannon Stapleton
A China disse que elevaria tarifas sobre US$ 60 bilhões em produtos norte-americanos, apesar dos alertas do presidente dos EUA, Donald Trump, contra retaliação chinesa ao aumento de tarifas imposto por Washington na sexta-feira passada.
O movimento alimentou temores de uma desaceleração da economia global.
“O mercado está se dando conta de que isso foi uma quebra absoluta nas negociações (comerciais) e que tudo retrocedeu”, disse o estrategista-chefe de mercado da JonesTrading, Michael O’Rourke.
“Pode ser muito ruim”, completou. “Há muita incerteza. Isso deveria levar a mais desaceleração na economia.”
O índice de volatilidade da CBOE, um parâmetro para a ansiedade dos investidores, registrou a maior alta em pontos desde ano.