Bolsas da China fecham em alta com expectativa de acordo com EUA apesar de aumento de tarifas


Investidores ainda apostam que Pequim e Washington conseguirão chegar a algum acordo comercial. China reage aos EUA e impõe tarifas sobre 5.200 produtos americanos
Reprodução/JN
O mercado acionário chinês terminou em alta e o iuan se fortaleceu nesta sexta-feira (10) com os investidores apostando que Pequim e Washington conseguirão salvar um acordo comercial, apesar de os Estados Unidos terem aumentado as tarifas sobre produtos chineses.
Embora a alta das tarifas pelos EUA sobre produtos chineses tenha entrado em vigor nesta sexta-feira como planejado, os investidores avaliaram que ambos os lados estão voltando à mesa de negociações para o segundo dia de conversas.
Operadores também esperam que Pequim possa anunciar mais afrouxamento monetário e medidas de suporte se a ação dos EUA alimentar a pressão sobre a economia chinesa.
O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 3,63%, enquanto o índice de Xangai teve alta de 3,1%.
Apesar disso, os índices ainda terminaram a semana com quedas respectivamente de 4,5% e 4,7%, levando-os para mínimas de quase três meses.
O iuan terminou o pregão doméstico com alta de 0,2%, a 6,8118 por dólar, mas ainda em baixa de 1,13% na semana.
Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,27%, a 21.344 pontos.
Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,84%, a 28.550 pontos.
Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 3,10%, a 2.939 pontos.
O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 3,63%, a 3.730 pontos.
Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,29%, a 2.108 pontos.
Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,19%, a 10.712 pontos.
Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 0,12%, a 3.273 pontos.
Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 0,25%, a 6.310 pontos.