BNegão canta Dorival Caymmi como velho pescador embevecido pela beleza da ‘Morena do mar’


Rapper surpreende em single de voz e violão, formato inédito na carreira do artista. Capa do single ‘Morena do mar’, de BNegão
+ 1 Coletivo
Resenha de single
Título: Morena do mar
Artista: BNegão
Composição: Dorival Caymmi
Gravadora: Edição independente do artista
Cotação: * * * *
♪ Quando Bernardo Santos nasceu, em outubro de 1972, Dorival Caymmi (1914 – 2008) tinha acabado de apresentar o samba Morena do mar no álbum Caymmi (1972). Um dos últimos sucessos populares da obra do compositor baiano, o samba corteja Iemanjá, orixá das águas, divindade recorrente no cancioneiro de Caymmi.
É como um velho pescador embevecido com a beleza dessa mitológica rainha do mar que Bernardo Santos, vulgo BNegão, canta o samba de Caymmi em gravação inédita que será editada em single programado para aportar na sexta-feira, 31 de janeiro, dois dias antes da celebração de Iemanjá nas águas da Bahia.
Se o antológico registro original de Caymmi foi ornamentado com vários instrumentos, em gravação embasada por baticum afro-brasileiro, BNegão reconduz Morena do mar ao habitat praieiro em gravação de voz e violão que se harmoniza com o tom minimalista dos álbuns Canções praieiras (1954) e Caymmi e seu violão (1959), títulos básicos da discografia do compositor.
Enraizado na memória afetiva de BNegão, o disco de 1959 é influência determinante na trajetória do cantor e compositor carioca, embora tal referência tenha sido ocultada quando o artista passou a encarnar a figura do rapper, projetado nacionalmente na década de 1990 como integrante do grupo Planet Hemp e, posteriormente, como solista dos discos feitos com o grupo Seletores de Frequência.
Essa onda erguida no mar do jovem Bernardo Santos somente veio dar publicamente na praia de BNegão em 2018, ano em que o artista estreou show cantando o repertório de Dorival Caymmi na cidade de São Paulo (SP).
O single Morena do mar é desdobramento desse projeto, que abarca ainda documentário (em fase de produção) sobre a relação insuspeita de BNegão com Caymmi. Na gravação, mixada por Antoine Midani e masterizada por Felipe Tichauer, BNegão canta Morena do mar somente com o toque do violão de Bernardo Bosisio em formato inédito na discografia do rapper.
O instrumentista segura a onda, mesmo sem reproduzir o irreproduzível toque imagético do violão de Caymmi, instrumento que ajudava o compositor e (grande) cantor a retratar nos sons as paisagens praieiras das canções.
Já BNegão parece evocar naturalmente o timbre de Caymmi sem emular o compositor no canto que parece ostentar a beleza rústica e o entendimento profundo dos velhos pescadores. O single Morena do mar chega para agradar quem enxerga em BNegão não uma reencarnação musical do Buda nagô, mas um discípulo reverente aos mistérios do mar do imortal Caymmi.