‘Baby me Atende’: Matheus Fernandes explica hit com Dilsinho que mistura pisadinha e pagode


Cantor de Fortaleza conta bastidores do 1º hit nacional em quase 10 anos de carreira e se prepara para lançar álbum em julho. Ouça entrevista em podcast. Matheus Fernandes conta bastidores de ‘Baby me Atende’, hit que emplacou com Dilsinho
Gravações de DVD são momentos muito esperados pelos artistas, mas, para Matheus Fernandes, a ansiedade era ainda maior porque ele corria contra o tempo.
A 5 dias do projeto “Matheus Fernandes – Na Praia”, o cantor e compositor de Fortaleza não tinha ainda achado ou escrito a música que considerava “perfeita” para o feat com Dilsinho. Ouça história no podcast abaixo.
Fernandes conta que Dilsinho pedia para ouvir a música que ia ser gravada, mas ele acabava enrolando, porque, no fim, ainda nem sabia qual seria.
A saída foi chamar os amigos e compositores Rodrigo Reis e o Igor Costa para compor em sua casa em um domingo à noite.
Daquele encontro, eles escreveram “Baby Me Atende”, uma música que mistura pagode e pisadinha e que está entre as mais tocadas do Brasil nas plataformas de streaming.
“Queria que o Dilsinho cantasse algo fora da caixa, fora do que ele está acostumado a cantar. Queria uma coisa meio sensual, porque sei que a voz dele tem essa pegada no timbre, na forma como ele canta”, diz Matheus Fernandes ao G1.
A música é como uma história que começa mais falada do que cantada. “Abandonado dentro de um apartamento, ansiedade coração desesperado…”.
Fernandes já tinha tido essa ideia para outra composição, que acabou não virando. Em “Baby”, esse é um dos fatores que chamam atenção, além da mistura de cuíca e cavaco com elementos do forró de teclado, tão em alta no Brasil atualmente.
Matheus Fernandes
Divulgação/Nara Fassi
Para o cantor, a junção dos ritmos acabou sendo natural por causa da parceria com Dilsinho, mas o pedido de incluir instrumentos de samba gerou desconfiança em sua equipe.
“Meu produtor perguntou ‘A gente vai botar cavaco com piseiro?'”, lembra Fernandes. A resposta foi direta: “Vai ficar bom, confia”.
Essa confiança também foi necessária para convencer o empresário, que tinha dúvidas se era a melhor música para uma parceria importante.
“No fundo, eu tinha tem aquela dúvida. Era aquela luta com a minha própria cabeça, mas acabou dando certo, a música está chegando muito longe e vai chegar mais ainda, se Deus permitir”.
Por que apostar em ‘Baby Me Atende’?
A música foi escolhida como single para o projeto “Matheus Fernandes – Na Praia”, que será lançado em duas partes. A primeira sai no dia 9 de julho e tem também participações de Tony Salles, Kekel e do grupo Menos é Mais.
Mesmo com toda a corrida antes da gravação e a dúvida do empresário, Fernandes apostou na música por achar que era “fora da curva”.
“Quando terminei [de escrever], eu disse: ‘É uma música tem um corpo de hit e isso é muito forte, porque ela é popular, é uma coisa cotidiana de todo mundo, tem uma estrutura musical diferente começa falando…”, enumera o cantor e compositor.
Até mensagem automática de caixa postal virou verso da música, que fala sobre uma ligação não atendida: “Após o sinal deixe o seu recado”.
Matheus Fernandes e Dilsinho emplacaram ‘Baby Me Atende’, 1º single do novo projeto do cantor cearense de 29 anos
Divulgação/Nara Fassi
Ele também explica como musicalmente a junção de pisadinha e pagode caiu tão bem em “Baby” e pode inspirar outras na mesma linha.
“O timbre do cavaco lembra muito esse timbre das guitarras que a gente está usando no piseiro. Um timbre mais agudinho, mais sequinho. A nossa música, o forró, o piseiro, a pisadinha, isso tudo tá ficando muito, os sons são muito curtos”, diz.
“Isso tudo combina com tudo que é percussivo, porque não soa, quando não soa muito, na minha opinião, encaixa fácil, fica com suingue, balançado”.
“Eu mesmo já escutei ‘Baby’ 800 vezes, mas mesmo assim ainda curto escutar, porque é gostosa, é melódica, não sei explicar, ficou gostosa de ouvir”, afirma MF, como também é conhecido.
Presente que mudou tudo
Matheus Fernandes no clipe de ‘Mulherada na Lancha’
Reprodução/YouTube/MatheusFernandes
Apesar do nome de Matheus Fernandes estar mais conhecido fora do Nordeste agora, a carreira do cantor cearense começou há quase uma década, quando tinha 19 anos.
Ele trabalhava com marketing político e nunca tinha pensado em cantar profissionalmente até ganhar um violão de presente de um amigo para incrementar a cantoria nos encontros entre os amigos.
Matheus então aprendeu a “arranhar” no instrumento com a noiva Tamiris Dias, que era sua namorada na época. Os quatro acordes que aprendeu foram suficientes para escrever “Mete Ficha”, em 2011.
Ele reuniu os amigos e gravou o clipe que permitiu que o cantor começasse a fazer shows em Fortaleza.
O nome de Fernandes ficou mais conhecido no Nordeste com “Mulherada na Lancha”, música que Wesley Safadão gravou ainda na Garota Safada em 2013, e “Chama o Samu” no ano seguinte.
Naquela época, ele fazia o arrocha universitário que estava no auge do sucesso, como “Vem Ni Mi Dodge Ram”, de Israel Novaes, e “Camaro Amarelo”, de Munhoz e Mariano.
Ele até diz no começo do clipe de “Chama o Samu” que era pisadinha, mas é uma variação distante da que, de fato, lidera as paradas hoje em dia.
Daquela época até hoje, no entanto, ele diz que o objetivo é o mesmo : ser diferente.
“É a mesma essência de buscar algo diferente melodicamente. Quero que as pessoas vejam algo que fuja do padrão nos meus shows”.
‘Estádio lotado’
Matheus Fernandes comemora 100 milhões de visualizações no clipe de ‘Baby Me Atende’
Reprodução/Instagram/Matheus Fernandes
É assim que Fernandes descreve a sensação com seus perfis nas redes sociais e nos streamings. No YouTube, o clipe de “Baby” passou de 100 milhões de visualizações.
No Spotify, são mais de 4 milhões de ouvintes mensais e o objetivo é manter o público por lá com o lançamento da primeira parte do álbum em julho.
“É como se o estádio estivesse lotado e eu tenho que ficar ali, não posso deixar o pessoal sair. De algum modo, a gente tem que criar conteúdo, criar música para essa audiência não sair dali né?”, compara Fernandes.
A sensação de chegar a esses números perto de completar 10 anos de carreira é reconfortante para o cantor, que já pensou em desistir algumas vezes.
“Triste daquele que começo fácil, porque quando começa fácil, normalmente fica mais difícil. É melhor você ir na crescente do que na decrescente, mas uma coisa é certa, tem que ter resiliência”.
“Eu tenho um mantra: o trabalho sempre vence. Não tem erro para quem trabalha, só tem evolução. Então é isso, é suor, vai ter que ralar, mas se você ama, você entende como aprendizado”, finaliza Fernandes.
Veja abaixo entrevista de Matheus Fernandes no São João de Fortaleza, em 2015:
Matheus Fernandes será uma das atrações do São João de Fortaleza