Azul e Latam reduz voos internacionais em até 30% por causa de coronavírus


A Latam informou que os cortes serão concentrados em voos entre América do Sul e Estados Unidos ou Europa. A Azul ainda não informou quais destinos serão afetados. Anteriormente a Latam já tinha anunciado a suspensão das operações entre São Paulo e Milão.
Roberto de Morais
A Latam Airlines e a Azul anunciaram nesta quinta-feira (12) que cortarão capacidade em voos internacionais em até 30% diante de queda na demanda por causa da epidemia de coronavírus.
As companhias também suspenderam previsões de lucro para 2020 e disseram que não têm clareza suficiente para fazerem novas previsões para o ano.
A Latam é a maior companhia aérea da América do Sul e informou que cortará voos entre 1º de abril e 30 de maio. Os cortes vão ser concentrados em voos entre América do Sul e Estados Unidos ou Europa.
O surto ocorre em um momento particularmente arriscado para a Azul, que planejava uma expansão agressiva. Este ano, a empresa anunciou um acordo para comprar a Twoflex para expandir voos domésticos. No ano passado, lançou novas rotas internacionais para a cidade de Nova York e começou a receber novos aviões da Embraer.
Agora, diante do surto, a companhia afirmou que reduzirá o crescimento de voos domésticos, reduzirá a capacidade em voos internacionais em até 30% e interromperá entregas adicionais dos jatos Embraer E2.
A rival Gol, ainda não divulgou o impacto do coronavírus esperado nas operações. As companhias na Europa e na América do Norte reduziram previsões de lucro.
A Latam disse que está reduzindo custos, mas não divulgou o mesmo nível de detalhes que a Azul.
A empresa já cancelou voos entre São Paulo e Milão até meados de abril, mas ainda não especificou onde cortará outros.
A Azul também divulgou um prejuízo líquido de 2,3 bilhões de reais no quarto trimestre de 2019, afetado pela fraqueza do real.