Atriz Lori Loughlin aceita pena de 2 meses de prisão e concorda em se declarar culpada em caso de fraude


Ela e o marido, o estilista Mossimo Giannulli, devem se declarar culpados nesta sexta-feira (22) em escândalo de suborno em universidade dos EUA. Atriz Lori Loughlin e o marido, Mossimo Giannulli, deixam tribunal após admitir fraude em escândalo em universidade. Imagem feita em agosto de 2019.
REUTERS/Josh Reynolds/Arquivo
A atriz de “Três é Demais” Lori Loughlin e seu marido, o estilista Mossimo Giannulli, concordaram em se declarar culpados de acusações nos Estados Unidos de conspirar para garantir de forma fraudulenta a entrada de suas filhas na Universidade do Sul da Califórnia, disseram promotores federais na quinta-feira (21).
Loughlin, de 55 anos, e Giannulli, de 56, concordaram com as penas de dois meses e cinco meses na prisão, respectivamente, em processo no tribunal federal de Boston.
Eles devem se declarar culpados na sexta-feira (22) por conspiração para cometer fraude eletrônica ou por correio. Loughlin e Giannulli também concordaram em pagar multas de US$ 150 mil e US$ 250 mil, respectivamente.
O promotor Andrew Lelling disse em comunicado que os acordos garantem que “esses réus cumpram pena de prisão, refletindo seus respectivos papéis em uma conspiração para corromper o processo de admissão nas faculdades”.
Os advogados deles se recusaram a comentar.
Loughlin e Giannulli estão entre as 53 pessoas acusadas de participar de um esquema em que pais ricos conspiraram com um consultor de admissões de faculdades da Califórnia usando conspiraram com um consultor de admissões em faculdade da Califórnia para usar suborno e outras formas de fraude para garantir a admissão de seus filhos nas melhores escolas.