As 10 melhores cidades do mundo para se viver, segundo ranking da Economist

A revista britânica publicou sua lista, que este ano tem Viena no topo. Saiba quais são as piores cidades para se viver, segundo o ranking. Viena voltou a ficar em primeiro lugar na lista de melhores cidades do mundo para se viver, segundo o relatório produzido anualmente pela Unidade de Inteligência da revista britânica The Economist.
A capital austríaca tomou o primeiro lugar de Auckland, na Nova Zelândia, que caiu para o número 34, devido às rigorosas medidas de prevenção que impôs devido à pandemia, segundo o relatório.
Viena havia perdido o primeiro lugar no ano passado justamente por causa do fechamento de museus e restaurantes devido à covid. Mas a reabertura da vida cultural e social a devolveu à posição que já havia alcançado em 2018 e 2019.
Em segundo lugar ficou Copenhague (Dinamarca); em terceiro lugar, Zurique (Suíça); e em quarto e quinto lugares, duas cidades canadenses: Calgary e Vancouver, respectivamente.
As 10 melhores cidades para se viver
Viena, Áustria
Copenhague, Dinamarca
Zurique, Suíça
Calgary, Canadá
Vancouver, Canadá
Genebra, Suíça
Frankfurt, Alemanha
Toronto, Canadá
Amsterdã, Holanda
Osaka, Japão
Melbourne, Austrália
Fonte: The Economist
As cidades são classificadas de acordo com índices como estabilidade, saúde, cultura e meio ambiente, educação e infraestrutura.
O que faz de Viena a melhor cidade para se viver?
Segundo os autores do relatório, “estabilidade e boa infraestrutura são os principais encantos da cidade para seus habitantes, respaldados por bom atendimento médico e muitas oportunidades de cultura e entretenimento”.
Outros dados curiosos
O relatório também lista as 10 piores cidades segundo esses índices: Damasco (Síria), Lagos (Nigéria), Trípoli (Líbia), Argel (Argélia), Karachi (Paquistão), Port Moresby (Papua Nova Guiné), Dhaka (Bangladesh), Harare (Zimbábue), Douala (Camarões) e Teerã (Irã).