Aos 70 anos, Numa Ciro apresenta parcerias com João Donato e Hermeto Pascoal no primeiro álbum


Capa do álbum ‘Numa’, de Numa Ciro
Pintura de Hildebrando Castro
♪ Cinco anos antes de ser entronizado como o rei do baião, em dinastia fundada com a gravação da música justamente intitulada Baião (1946), Luiz Gonzaga (1912 – 1989) compôs e gravou temas instrumentais em gêneros como choro e valsa.
Uma desses temas, a valsa Numa serenata, lançada pelo artista em 1941 em discos de 78 rotações por minuto, ganhou letra de Numa Ciro e se tornou a valsa Foi numa serenata, 11ª das 13 faixas de Numa, primeiro álbum desta artista paraibana residente há décadas na cidade do Rio de Janeiro (RJ).
Cantora, compositora, atriz e psicanalista, Numa Ciro é conhecida na cena underground carioca por protagonizar o que a percussionista Lan Lahn – produtora musical do disco – caracteriza como “monólogos cantantes”.
Aos 70 anos, a artista apresenta o primeiro álbum, Numa, com capa que a expõe em pintura de Hildebrando de Castro e com repertório que inclui parcerias com nomes como César Lacerda, João Donato e Hermeto Pascoal, além de Luiz Gonzaga.
São parcerias – algumas criadas postumamente, como a valsa surgida a partir do tema original de Gonzaga – em que Numa Ciro sempre entra com os versos das letras e os compositores, geralmente homens, com as melodias.
Com Donato, a parceria aconteceu em Do esperar, música nascida da melodia criada pelo compositor acriano para Numa pôr letra. No disco, Do esperar foi gravada com o piano de Donatinho, filho do compositor, e com participações de Rodrigo Faria e Nanda Costa (no coro).
Já a parceria com Hermeto surgiu quando Numa pôs letra em tema instrumental do artista, originalmente intitulado Novena (1982) e reapresentado como A feira grande de Campina Grande na versão com letra. O arranjo da faixa foi criado pelo maestro Itiberê Zwarg – nome recorrente na obra de Hermeto – enquanto o canto foi dividido por Numa com Socorro Lira e Tadeu Mathias.
César Lacerda é o melodista de Desproporção, cuja letra de Numa é entoada pela cantora a capella na abertura do álbum, que segue com os beats e levadas postos por Fernando Deeplick – responsável pela mixagem e masterização do álbum – e Lan Lanh em Psicodélica, faixa previamente apresentada como single.
Transitando por gêneros como xote, rock, fado e martelo galopado, o álbum Numa também apresenta parcerias da artista com Flaviola (Quatro elementos da beira do mar) e José Miguel Wisnik (Rua da saudade).
A única música do disco sem letra de Numa Ciro é Hipótese do hipopótamo tartamudo (Uma balada comportamental), presente do compositor paraibano Bráulio Tavares para a artista conterrânea.