ANDA SP: Micromobilidade muda a maneira de como o paulistano se desloca pela cidade


Além das bicicletas e patinetes de aluguel, outros modais de transporte prometem fazer parte da rotina de São Paulo. Micromobilidade é tema de discussão em São Paulo
Os aplicativos de mobilidade e a opção por sistemas de transporte sustentáveis estão mudando a maneira com que as pessoas se deslocam pela cidade de São Paulo. Além dos aplicativos de aluguel de bicicletas e de patinetes, a possibilidade de se ter o próprio veículo sustentável começa a atrair interessados.
A evolução do mercado, inclusive, é constante: a cada seis meses novidades chegam aos consumidores. E opções não faltam: bicicletas elétricas dobráveis, patinetes elétricos dobráveis e bicicletas elétricas de maior porte (com autonomia de até 50 km/h).
Scooter elétrica que pode rodar até 50 quilômetros com uma carga de bateria
Reprodução/TV Globo
Tecnologia de trens
Além da micromobilidade individual, o transporte de massa também recebe novidades recorrentemente.
A Linha 4-Amarela do Metrô, por exemplo, possui um sistema de controle e sinalização, o CBTC, que permite que trens circulem com uma distância de 12 metros entre as composições, o que deixa a espera nas plataformas menor.
Esse sistema também proporciona que os trens circulem sem condutor, sendo gerenciado totalmente por computadores.