Anavitória, Elza Soares, Kynnie e Marília Mendonça dão vozes às mulheres na trilha sonora do especial ‘Falas femininas’


Elza Soares está representada no especial com a gravação de ‘O que se cala’, do álbum ‘Deus é mulher’
Daryan Dornelles / Divulgação
♪ Composição de Douglas Germano lançada por Elza Soares há três anos no álbum Deus é mulher (2018), O que se cala é o tema de abertura do especial Falas femininas, programado pela TV Globo para ser exibido logo após o BBB 21 na noite desta segunda-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher.
A ideia original da equipe feminina do programa era selecionar para a trilha sonora somente músicas compostas e cantadas por mulheres. Mas a música gravada por Elza, embora composta por um homem, se afinou com o conceito do programa, idealizado para dar voz a cinco mulheres brasileiras de diferentes regiões do país, credos e faixas etárias.
Bibi Cavalcanti assina a trilha sonora do especial, de Portugal, e explica a exceção: “Quando ouvi a letra de O que se cala, achei que era algo necessário de ser dito e e digno de abertura do programa. Tentei trabalhar uma sonoridade delicada e forte ao mesmo tempo que ajudasse a retratar a beleza de ser frágil e ao mesmo tempo ser forte e guerreira. E o que mais me inspirou foram as vozes. Vozes de todas essas mulheres e de tantas outras. Vozes que não podem mais se calar”, argumenta Bibi.
A trilha sonora de Falas femininas traduz a diversidade musical do Brasil. Além da gravação de Elza Soares, há música da cantora e compositora sertaneja Marília Mendonça, De quem é a culpa? (2016), parceria da artista com Juliano Tchula.
Outro destaque da seleção é Amarelo, azul e branco (Ana Caetano e Vitória Falcão, 2021), música de Anavitória, lançada em 1º de janeiro no quarto álbum da dupla, Cor (2021), em gravação feita com a participação de Rita Lee.
Música composta pela cantora fluminense Kynnie Williams e lançada em novembro de 2020, Linda, chique, sexy & braba também faz parte da trilha sonora de Falas femininas.