Amigos e familiares se despedem do cantor Matheus, vítima da Covid-19: ‘Ele cantava e encantava as pessoas’


Artista, que durante três décadas formou a dupla Lucas e Matheus juntamente com um de seus irmãos, foi sepultado na tarde desta quarta-feira (23), em Presidente Prudente (SP). O cantor e compositor Matheus morreu vítima da Covid-19
Reprodução/Facebook
O cantor e compositor Matheus, que morreu em decorrência de complicações da Covid-19, foi sepultado na tarde desta quarta-feira (23), no Cemitério Municipal Campal, em Presidente Prudente (SP). O artista, que durante três décadas formou a dupla Lucas e Matheus juntamente com um de seus irmãos, tinha 57 anos de idade.
Em razão dos protocolos sanitários exigidos durante a pandemia, o acesso ao enterro ficou restrito a um grupo de pessoas íntimas da família.
O irmão Lucas estava muito abalado e preferiu não conceder entrevista para falar sobre a morte do parceiro.
Em uma rede social, Lucas publicou a seguinte mensagem de despedida do irmão:
“É com uma dor profunda q informo a partida de Matheus. Q Deus o receba e q o ampare nesta hora. Até sempre irmão!”.
A gerente de vendas Maria Isabel Somenzari, que desde 2011 era vizinha de Matheus em um condomínio residencial em Presidente Prudente, disse ao G1 que a morte do artista passa a fazer parte da lista de notícias tristes de 2020, um ano que, para ela, foi “totalmente atípico” e vai ficar marcado “pro resto da vida pra trazer muita reflexão para a humanidade toda”.
Ela integrou um grupo de 60 pessoas, todas moradoras do mesmo condomínio, que compareceram ao cemitério para se despedirem do artista. Em homenagem a Matheus, elas soltaram balões de ar brancos na entrada do local durante o sepultamento.
“A gente perde um parceiro, um vizinho, um amigo, uma pessoa alegre e [de] que Deus precisava do outro lado pra alegrar lá em cima também”, afirmou Maria Isabel.
“[Ele] cantava e encantava as pessoas. Seu jeito simples de ser. Um cara sempre presente. Uma família linda e que agora deixa só saudade”, definiu.
Balões brancos foram soltos em frente ao cemitério em homenagem a Matheus
Heloise Hamada/G1
Já a aposentada Conceição Lima, que foi madrinha de casamento do cantor, contou ao G1 que tinha uma convivência diária com Matheus e que a morte do artista representa “uma perda irreparável”.
“Sabemos que Deus tem propósitos e que o homem faz planos. Mas os desígnios são de Deus. Foi assim a vida do Matheus. Ele nos alegrou em vida. Sentiremos a sua falta. Mas sabemos também que ele está nos braços do pai”, falou Conceição.
O cantor e compositor Matheus foi sepultado em Presidente Prudente
Heloise Hamada/G1
A jornalista Taíne Correa citou as lembranças do período da infância, quando já ouvia as canções da dupla Lucas e Matheus, e classificou a morte do cantor como uma “grande perda” pessoal e musical.
“Desde pequena, eu ouço o CD deles. Eu já dormi várias vezes, quando era mais nova, tinha uns 10, 11 anos, ouvindo o CD deles. Minha irmã colocava e a gente dormia junto. Foi uma dupla que marcou muito essa parte da minha infância. Além de ser tio de uma das minhas melhores amigas, também tem a parte fã, que eu acho que é muito importante. Sempre músicas com mensagens muito bonitas, lembro de várias. Cheguei a comentar com eles quando eu vi os dois pessoalmente. Fizeram parte da minha história. É realmente uma grande perda não só pessoalmente como musicalmente também”, lamentou.
Dupla Lucas e Matheus fala sobre o sucesso na Europa
“Meu tio era uma pessoa muito especial. Ele era um alicerce muito grande pra família. A perda dele, ele não estar com a gente, vai deixar muitas sequelas de tristeza na minha família, ainda mais nesse período que a gente está vivendo de pandemia, em que a gente não pode estar junto pra se ajudar. Com certeza, se fosse em outra situação, ele seria o primeiro a ajudar todo mundo. Ele é uma pessoa inesquecível. Ele vai deixar saudades demais pra toda a minha família, pra música brasileira e pra música internacional, por quê ele fez. Uma voz muito linda foi calada hoje”, declarou a sobrinha Ive Caroline Poleto Rodrigues ao G1.
“A gente cresceu cantando e tocando sempre as músicas dele. Não me lembro de andar, mas eu me lembro de cantar as músicas dele. Ele sempre pediu pra eu participar. Eu fiz backings pra ele de discos. Ele vinha direto lá de Portugal e mandava pra que eu fizesse, fazia questão. Ele sempre quis incluir a parte musical na família e ele foi a grande influência da grande maioria da minha família”, completou.
O cantor e compositor Matheus foi sepultado em Presidente Prudente
Heloise Hamada/G1
Trajetória internacional
Edilson da Silva Rodrigues, nome de batismo de Matheus, começou a apresentar sintomas do novo coronavírus ao voltar de uma viagem de Portugal para Presidente Prudente, possuía residência. Ele estava internado em um hospital da cidade e teve de ser entubado no dia 16 de dezembro, mas não resistiu às consequências da Covid-19 e morreu nesta terça-feira (22).
Ele deixa a esposa, Fabiane, e os filhos Lara, de 17 anos, e Matheus, de 12 anos.
A dupla Lucas e Matheus tinha três décadas de carreira e uma longa trajetória na Europa. Foram dezenas de CDs gravados e várias conquistas, como 40 discos de ouro, 25 de platina e cinco de diamante pelos mais de 7 milhões de cópias já vendidas ao longo da carreira.
O maior sucesso da dupla de irmãos foi a música “Paciência”, gravada na década de 1990 (assista ao vídeo abaixo).
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.